Páginas

terça-feira, janeiro 31, 2006

O que podem os fatos diante da força dos argumentos ?

Pesquisa boa é aquela que comprova aquilo em que já acreditávamos !
Quem trabalha no negócio de pesquisa de mercado sabe como é difícil apresentar resultados que divergem da percepção (ou do desejo) do contratante.
A reação antagônica a notícias indesejadas é da natureza humana. Há que se aprender a lidar com as frustrações, de parte a parte.
Embora esse aspecto da humanidade fique evidente nesse caso, creio que vale a pena aproveitar a lição para pesar seus desdobramentos em outras situações.
Tenho observado que é bastante comum, quando temos uma tese para qual necessitamos de comprovação, tomarmos os fatos do cotidiano como “provas” dessa tese.
De certo modo, interpretamos os fatos de forma a que possam servir de apoio a nossos argumentos.
Em situações normais, fazemos isso dentro do limite do razoável.
Em situações limite, como diria minha avó, “focinho de porco vira tomada” ou, como diria meu avô, “chamamos urubu de meu louro”.
E nessa situação, o que podem os fatos diante da força dos argumentos ?
Vale observar ...

4 comentários:

doppiafila disse...

Sem duvida! No mundo é tanta a quantidade e variedade de fatos que cada um pode selecioná-los para dar valor aos proprios argumentos!

Alberto A V Alves disse...

Em minha avaliação o que realmente conta não é o fato ou o argumento isoladamente, mas quando temos mais uma informação da maior importância, a procedência. Hoje em dia precisamos mais do que simplesmente a notícia, precisamos conhecer as fontes para que depois de avaliarmos com calma possamos acreditar como um fato ou argumento real ou devemos simplesmente descartar, pois não tem a menor credibilidade.

Estamos voltando ao tempo do "Fio de Bigode", pois confiávamos... e o que tinha realmente valor era sua procedência.

Flavio Ferrari disse...

Importante ressaltar: o Alberto tem bigode; doppiafila não tem !

doppiafila disse...

Outra notinha: nos ùltimos dias, tenho recibido muitos estimulos relativos ao excesso de informaçao. Em breve: o fluxo ininterrupto de informaçao que recebemos e suas proporçoes enormes e inhumanas terminam reduzindo o que realmente sabemos/conhecemos. A única atividade que mantemos eficinete deve ser a de selecionar neste fluxo os fatos que confirmam nossas teorias... :-)