Páginas

segunda-feira, outubro 22, 2007

A polpa e o caroço

Luisa, lá no Estetikos, postou uma intensa poesia entitulada Fragmentado que me estimulou a voltar a um tema que já abordei por aqui sob uma outra ótica.
É muito difícil gostarmos de alguém por inteiro.
Consequência óbvia, é muito difícil alguém gostar da gente por inteiro.
São interessantes os mecanismos disparados por esse fenômeno.
Do nosso lado, a carência afetiva, necessidade de afeto ou aprovação, pode levar à rejeição daqueles aspectos pessoais menos "aceitos" pelas pessoas que queremos bem.
Do lado do outro, daqueles que querem gostar da gente, é comum a "negação". Aceitam o que consideram a nossa "parte boa" como se essa fosse nosso "verdadeiro" eu. O resto é episódico, comportamentos inadequados que, insistem, devemos "consertar".
Com o tempo, se transforma numa condição para aceitação.
É tão bom quando a aceitação é incondicional ... quando o outro nos aceita apesar dos "defeitos".
Ainda melhor quando nos aceita porque temos "defeitos", e isso nos faz mais interessantes e humanos. Mais desafiadores do "status quo" e, por isso mesmo, estimuladores do desenvolvimento.
Por muitos anos "comprei" a idéia da perfeição para mim, embora fosse mais "tolerante" com os outros.
De uns anos para cá, descobri que estava errado nos dois casos.
"Errado" é um exagero. Afinal, era o que eu tinha condições de fazer.
Agora trabalho para me aceitar como sou, por inteiro.
E a consequência interessante é que sou menos "tolerante". Tolero menos, aceito mais.
Julgo menos, e simplesmente decido como conviver com o outro.
Essa tem sido mais uma interessante experiência de vida ...

ps - quanto ao título, foi para lembrar que no caroço (a semente) está o segredo da continuidade.

11 comentários:

Anne M. Moor disse...

estamos sempre aprendendo... e uma das aprendizagens mais importantes pra mim é aprender a aceitar a nós mesmos assim como somos.

perfeiçao é muito chata!!!!

Raffaella disse...

Se as pessoas fossem perfeitas, que graça teria, meu bem?
Melhor que tenham defeitos mesmo.
Um mundo perfeito não teria problemas. O ser humano PRECISA dos problemas, de conflitos.

disse...

Quando digo que vc tem um grande coração, é exatamente a isso que me refiro. A consciência que todos somos humanos e por isso tão iguais e tão falíveis nessa nossa condição.
Que todos buscamos, e isso nos coloca no mesmo barco. E que por isso, o "meu"certo pode nao ser o "seu", isso com certeza tem uma forte razão se ser e ambos merecemos respeito.
E conforme a gente vai melhor conhecendo o ser humano, mais nos aceitamos , e vemos a inutilidade de querermos entrar em moldes (mesmo naqueles que todos adoram).Umas tolices sem tamanho...

Mô Gasparini disse...

Oiee Flavio, tudo bem?
Como sempre você escreve textos maravilhosos que nos fazem refletir sobre muitas coisas que fizemos...
E por falar nisso, creio que escrever seja realmente um dom de sua família, para provar isso é só ver os blogs dos seus filhos né?
Bjossssss

É! disse...

Inspirado!!!!! Adorei!!!! Fazia tempo que não andava pelas bandas filosóficas... Como é o nome desse seu neurônio? rs...
Eu, ainda sobre o efeito do "Eternal Sunshine..." queria repetir a frase da "Tangerine":
"I'm just a girl trying to find a few peace of mind" (orrrr somthing like that...)
E tentando provar pra mim mesma que that's ok ser assim...

Udi disse...

uh! e eu acabo de dizer (no post anterior) que continuo sendo sua tiete!

Denise Fernandes disse...

O tempo faz com que tenhamos outras escalas de valor, vamos deixando de inferir ao outro pela referência que temos de nós mesmos, ficamos menos chatos...rs
Seu texto faz pensar....
Beijos

Ti disse...

Olà,

Que bom que està voltando a filosofar.. Sinal que pode pensar um pouco em voce!!

Concordo 100% e uma coisa importante a dizer é que a vida se torna muito mais simples de ser vivida e, consequentemente, de forma mais intensa e divertida!!

Saudades!

Beijos

Flavio Ferrari disse...

Ti, que saudades ..
Denise, você voltou ...
Udi, beijo...
Erica: não tenho queixa ...
Mônica, volte sempre, e acompanhe a publicação do Rodrigo ... seu livro está ficando ótimo ...
Lú: é porque vc ainda não me conhece pessoalmente ...
Raffa: ainda bem que você faz psicologia ...
Anne: é duro ... mas é por isso que funciona ...

disse...

Vereremos Flávio, vereremos...(rs)
Sou boa de percepção heim!
Bj.

Anne M. Moor disse...

Posso rir flavio? hahahahahahahahaha You are incredible... Dying to meet you!!