Páginas

sexta-feira, outubro 28, 2005

Enxugando Gelo

Sabe a expressão "enxugar gelo" ? Aquela que a gente usa para se referir a trabalhos intermináveis e causas perdidas ?
É uma imagem interessante. Por mais que você enxugue o gêlo, ele segue molhado.
A ansiedade só não é maior porque a gente imagina que em algum momento o gêlo termina por se derreter todo e o trabalho acaba.
Agora, imagine uma pedra de gêlo bem grande .... um iceberg.
Imagine-se enxugando um iceberg. E imagine que você só vai poder voltar para casa (ou ganhar um sorvete, ou sair com a namorada, ou ir dormir) quando acabar de enxugar o cujo dito ....
Pois assim me parecem os e-mails, que insistem em brotar, com singular alegria e surpreendente determinação, minha caixa postal.
Por um lado sou grande fã do instrumento. A comunicação assíncrona, que respeita os tempos e desejos individuais (eu escrevo quando posso e você responde quando quizer).
Por outro, o abuso de uns, pncipalmente os agentes do pseudo-marketing-direto (spam), e a falta de cuidado (ignorância ou etiqueta) de outros, aqueles que insistem em replicar sempre tudo com cópia para todo mundo, complicaram a vida de todos.
Lí num blog outro dia (linguaenoticia.blogger.com.br) que os altos executivos estariam, já no final de 2004, recebendo de 300 a 500 e-mails por dia e que isso estaria afetando seu humor no trabalho.
Eu, pessoalmente, recebo entre 900 e 1200 e-mails por semana. Aproximadamente a metade deles são SPAMS ou suas variantes. Uns 25% são cópias de mensagens endereçadas a outras pessoas. Sobram 300, em média, que preciso efetivamente ler e responder. Mais ou menos 60 por dia útil de trabalho (segunda a sexta). Se entre ler e responder gastar 4 minutos por e-mail, essa tarefa consumirá aproximadamente 4 horas diárias.
Na pratica, percebo que muitos de nós passamos dias inteiros respondendo e-mails, a não ser que sejamos interrompidos por algum telefonema ou reunião.
No final do dia a gente percebe que nem teve tempo para tomar um café com os amigos do escritório, que também não te procuraram porque estavam enxugando gelo, como você.
Mas tudo bem. Quando me dou conta disto, mando um e-mail para eles antes de voltar para casa.

Um comentário:

Marcio Alves disse...

Flávio,
Parabéns pela iniciativa.
Infelizmente o email já não é tão assíncrono como deveria. Para emails externos, geralmente a nossa paciência em esperar pela resposta dura um ou dois dias. Para colegas do mesmo escritório, isso já não existe. O cara te escreve um email e espera resposta em tempo real.
Quem nunca foi surpreendido no corredor por um colega de trabalho que acabou de mandar um email e já está perguntando se vc o recebeu (e leu !). Ora, se era tão urgente assim, seria melhor ter usado o telefone ou conversado pessoalmente.
Na edição de Nov.2005 do "The Wire" (Jornal WPP) saiu um texto interessante chamado "A Berry personal tale" sobre as tecnologias always on (como os Blackberries) : "Always on technology means that we are distracted when we should be concentrating on what we are paid to do".
O texto remete a um interessante artigo da Harvard Business Review chamado "Why Smart People Underperform". É sobre o deficit de atenção causado pelo excesso de tecnologia e a tentativa de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo.
Um forte abraço,
Márcio Alves