Páginas

terça-feira, fevereiro 07, 2006

Poltrona do Diretor: Aos fatalistas


Há um homem que caminha pelo jardim com um livro.
O homem é cego
O jardim é um labirinto de caminhos que se dividem, se ramificam e se recombinam.
Há estátuas no jardim. Estátuas enormes. Se elas se movem, como dizem alguns, é devagar demais para ser percebido.
O livro é pesado. Você não conseguiria levantá-lo.
....
Ele está acorrentado ao livro, ou o livro a ele. É um livro de muitas páginas. Não pode ser roubado. O homem não pode se desfazer dele.
O livro contém sua vida. Cada detalhe de sua vida. Tudo o que lhe aconteceu . Tudo o que lhe acontecerá um dia. As coisas que você esqueceu.
Contem tudo que já aconteceu ou acontecerá para todas as pessoas que você já conheceu.
O significado do formato das manchas de cada leopardo está escrito aqui, assim como a verdade das formas das nuvens, a estranha e divertida vida-canção das bactérias e os segredos que os ventos sussurram quando não há ninguém para escutar.
Tudo está aqui, desde o começo dos tempos até o apocalipse.
Ele não criou o caminho que você trilha.
Mas os movimentos dos átomos e das galáxias estão em seu livro, e ele vê pouca diferença entre eles.
Um dia ele o largará, quando o livro estiver terminado. E o que vem depois disso ainda não está escrito.
Uma página vira. O Destino continua a caminhar. Ele está segurando um livro.
Dentro do livro está o Universo.
(Neil Gaiman – Destino: Noites sem Fim)

O texto acima é do fantástico autor de Sandman. Destino, se não me equivoco, é um dos curiosos membros da família dos Perpétuos.
A imagem poética do homem com o livro onde tudo está escrito certamente encanta os fatalistas de plantão.
Mas Gaiman, sorrateiramente, insere o pequeno comentário: “Ele não criou o caminho que você trilha”.
Não por acaso, o comentário é seguido da afirmação: “Mas os movimentos dos átomos e galáxias estão em seu livro, e ele vê pouca diferença entre eles”.
Existem coisas muito pequenas ou grandes demais para que possamos interferir. Elas acontecerão. Está escrito. Independem de nossa vontade, embora seja muito útil conhecê-las e entendê-las.
Mas no infinito espaço entre elas, você pode escolher o caminho que irá trilhar.

2 comentários:

zuleica disse...

Muito lindo! Tão lindo que sinto angústia por não ser capaz de comentar.

Alberto A V Alves disse...

O texto é belíssimo, encerra uma profundidade imensa oferecida com sutileza, o início e o fim podem estar escritos, o caminho não é preciso.

É para pensar, talvez nem tanto, melhor agir.

Parabens pela escolha do tema.