Páginas

domingo, fevereiro 10, 2008

Poema Épico


Em meio ao caos
de mazelas cotidianas
tomando no pulso
o aflito alazão
cavalgo sem nexo
nem direção
Vislumbro Dianas
cada qual em seu Tao
sobrepujando a razão
a força de um sexo
a quem guia o impulso
me deixa convexo
de admirção

13 comentários:

Jorge Lemos disse...

Como dardos lançados ao acaso
sua palavras tocam fundo
ao viajopr desprevenido.
Forte, sensual e lindo poema
a caminho do híbrido.
Abraços Príncipe

zuleica-poesia disse...

Bonita poesia. É bom vê-lo em carne e inspiração.-abraços.

Suzana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Suzana disse...

...e nessa busca incessante
lá vai o cavaleiro galante
em busca de sua donzela.


oiê!
bjs

É! disse...

bela viagem, caminho interessante!

Ti disse...

Lindo e envolvente... Eterna inspiração!!

Anne M. Moor disse...

caos,sem nexo,convexo, sobrepujando a razão... Vida em forma de montanha russa... Um turbilhão em ação...

Angela disse...

E côncovas de alegria tuas Dianas.
Lindo, lindo!

disse...

Sensorial.Puro instinto.
Demais!

Udi disse...

A imagem do arqueiro que se torna o próprio arco (convexo) e também a própria flecha que vão, ambos, flecha e arqueiro, atingir o alvo
...que também é ele mesmo? Claro que sim! Ele se encontra nos braços da sua Diana.

Ernesto Dias Jr. disse...

Um recôncavo amplexo no convexo para falar de sexo com nexo.
Ou não.

Ernesto Dias Jr. disse...

Perplexo?

Anne M. Moor disse...

Vulgo abraço de urso... Tão bommmmmmmmmmmmmmm... :-)