Páginas

domingo, abril 20, 2008

Vai dar IBOPE


Já cansei de ouvir que o IBOPE é responsável pela baixa qualidade da programação da televisão.
Pior é que esse tipo de comentário costuma vir de gente "culta", bem formada, e até reconhecida como "inteligente".
É o mesmo tipo de gente que afirma que as pesquisas de intenção de voto não deveriam ser divulgadas porque o "povo" acaba votando em quem está na frente.
Não vou gastar o tempo dos leitores contrapondo argumentos. Para esses, fica minha recomendação para que quebrem os termômetros quando estiverem com febre ou as balanças quando tiverem engordado.
Fato é que eu também me incomodo com o comportamento da mídia, explorando temas como sexo, violência e os dramas humanos em busca da "audiência"fácil.
Fácil, porque conquistar a audiência de outra forma é mais ´difícil; requer inteligência, coisa rara hoje em dia.
Mas nós, a parcela da população que teve o privilégio de receber uma educação que reputamos melhor, que nos indignamos com isso, poderíamos fazer a nossa parte.
É simples.
Poderíamos, por exemplo, não comprar revistas e jornais, e não assistir programas que utilizem esse tipo de recurso.
Parece simples ...
Mas, afinal, quem resiste aos detalhes macabros do último drama escolhido pela mídia para nosso deleite ?
Entre os milhares de dramas cotidianos desse grande país, a mídia já escolheu aquele com maior potencial de audiência. São profissionais. Tem faro para a coisa.
Então a gente compra a revista, assiste o programa de domingo ... e, depois, critica.
Mais aí, meu caro, já deu audiência......


15 comentários:

doppiafila disse...

Oi Flavio, existe pelo menos um argumento que podería dar (um pouco de) razao aos que "culpam" o IBOPE!
Sem IBOPE, nao teriamos certeza do que a "audiencia de massa" realmente gosta, e seria de esperar que a programacao fosse mais dirigida a um público mais elitario. Sem datos detalhados, os canais produciriam programas mais próximos aos gostos dos proprios empregados (mais cultos que a media) e dos principais opinion makers (intelectuais), o que geraria uma especie de "bias" em direcao á programacao mais ABC.
O que que voce acha?
Um abraco, Doppiafila

Anne M. Moor disse...

Por essas e outras que quase nunca vejo TV, reluto em ler jornal e estou acabando com a minha assinatura semanal da Isto É...

Escolher procurar informação do nosso país, região, do mundo, faz parte de 'saber ler'. De fazer 'skimming' das manchetes e resolver o que queremos ou o que achamos que devemos ler para nos mantermos informados inteligentemente sobre o que acontece a nossa volta.

O pior é que as pessoas ditas inteligentes (e até são) pick up all the blood and gore e quando estás saboriando um bom camarão a baiana num restaurante gostoso trazem atona todo esse sensacionalismo!!! Ando um pouco impopular entre meus amigos, pq andei tentando parar o fluxo do julgar baseado na mídia!!!!!!!!!

O silêncio... ai o silêncio que as vezes me é tão difícil...

Jorge Lemos disse...

Príncipe Amigo

Em tempos idos, quando dirigia a área de Rádio e Tv de inúmeras Agências, usamos o IBOPE para pesquisas dirigidas. Havia necessidade de saber exatamente quais os veículos mais adequados aos produtos que defendiamos.Isto é o obvio.
Concordo em parte com seu texto. Pesquisa sempre foi uma faca de dois gumes; para uma população predominantemente atrazada, sem
formação crítica, ausente e extremamente consumistam o endeusamento proporcionado pelos resultados das pesquisas levam
aos Stalinistas do poder mover suas peças para se perpetuarem.
Quando uma pessoa como o Heleno bate na tecla certa e responsabiliza a autopridade maior vemos que esta autoridade "fala mais grosso" em decorrências dos numeros elevados de simpatia que as pesquisas indicam.
Temos, infelizmente, que conviver com a mediocridade generalizada.
País carente de educação, entre outros.

disse...

Eca!
Eu, sem falsa modéstia, resito, facilmente.
Não sei , nao gosto,não leio,não assisto.

PS:Comentário extremamente individualista, eu sei, mas só desta vez(rs).
Bjo.

Érica disse...

acho que estamos todos plenamente de acordo! eu passo looonge! TV só por causa dos DVDs.

Flavio Ferrari disse...

Posso imaginar a inteligenzia debatendo se as referencias deveriam vir da obra de Piaget ou de Sartre.
Os criadores buscando o "novo" sem conhecer o "velho".
E todo mundo achando que sabe o que é melhor para todo mundo.
Há que se educar o povo e democratizar a informação.

Anne M. Moor disse...

E o que seria "democratizar a informação"????

Suzana disse...

Tá vendo? Este assunto já esta "dando IBOPE" !

Udi disse...

quando vão aprender, né?

Raquel Neves de Mello disse...

Perguntas:
- que instituto fez a pesquisa mostrando que os empregados de TV sao mais cultos que a media? Instrucao formal nao é diretamente proporcional a cultura.
- que instituto fez a pesquisa mostrando que os "opinion makers" sao intelectuais? A revista Caras mostra o contrario.
- que instituto fez a pesquisa mostrando que o publico ABC nao faz parte da "audiencia de massa"? Se fosse assim, o edredon do ultimo BBB nao teria sido um dos itens mais vendidos da M Martan. O publico DE nao tem $ pra isso.

Vamos lá. A estupidez é parte da natureza humana. Independe de se ter um diploma ou um Audi.

Tao facil como cair na esparrela do entretenimento facil é cair na enganação do preconceito, do bairrismo, do "elitismo".

Flavio Ferrari disse...

Acho que concordamos todos com voce, Raquel ...
E não sei o que seria democratizar a informação, mas certamente não começa pela extinção da pesquisa

Ernesto Dias Jr. disse...

Lembra de tudo que comentamos quando do acidente da TAM?
Aplica-se de novo agora.
A mídia escolhe o que a gente vai ler?
Não tenho tanta certeza assim. Não comungo da idéia (rabujenta, vejam só) de que os jornalistas pinçam uma tragédia e nos impingem.
Um avião desamando dobre a avenida é um fato atípico, e é notícia. Um maluco que joga uma criança pela janela é um fato atípico, e é notícia.
O bicho pega não porque o jornal destaca a notícia, mas porque o jornalista não resiste à tentação de deixar de informar e passa a opinar sem ter fundamento para tanto ("E erro foi do piloto". "Eles são culpados").
Nós, LEITORES, é que devemos ser mais críticos. Mas com tanta gente badalando Piaget e insistindo no tal construtivismo, fica difícil...
Quanto ao IBOPE, vida longa...

Gui Ferrari disse...

O cinema nacional que mais teve público foi a chanchada.
nossa produção artística e informativa é uma merda porque o que pedimos é uma merda. mas fazer o que?

Flavio Ferrari disse...

Não tenho nada contra o construtivismo. Muito pelo contrário.
E considerando que a chanchada deu origem à pornochanchada, um estilo único e altamente criativo que caracterizou o cinema brasileiro por décadas e do qual sou fã, também lhe rendo minhas estimas.

Érica disse...

estou pesquisando sobre Piaget e construtivismo para poder comentar mais... Blogando e aprendendo.