Páginas

sexta-feira, setembro 23, 2011

Fase crítica

Ok, podem dizer que ando meio crítico, mas essa história de "dia mundial da causa tal" me aborrece.
A justificativa padrão é a "conscientização" da sociedade para as ditas causas.
Ainda que eu possa considerar boa parte delas até razoáveis, essas iniciativas alimentam o sentimento estético de missão cumprida.
- Fiquei um dia sem usar meu carro = fiz a minha parte.
   Não importa se nos outros 364 dias do ano o indivíduo anda sempre sozinho no seu carro, nunca usa um metrô mesmo quando tem essa possibilidade, se recusa a caminhar mais de um quarteirão, etc, etc.
Claro que as justificativas são muitas ... falta de segurança nas ruas, linhas insuficientes de metrô, o perigo de dar caronas, o tamanho do salto do sapato.
E, do outro lado, o governo, a quem cabe criar as condições apropriadas para que possamos deixar o carro em casa, prefere impor um rodízio do que investir no transporte público.
O governo também se justifica ... falta de verbas, outras prioridades.  Sejamos criativos:  um incentivo fiscal para contratação de pessoas que moram perto da empresa (ou para levar as instalações para onde está a mão de obra, ou para implementar processos de "home office") já ajudaria muito.
Mas estou aqui assistindo a GloboNews nesse momento e a Dilma está dizendo que precisamos resolver o problema da Grécia que, se entendi, bem, foi convidada para a festa de debutante e não está comendo o bolo.
Vou tomar um Rivotril para o bem do Brasil.

6 comentários:

Luna Sanchez disse...

Por essas e outras que eu admito, assumo, confesso que nem o lixo separo. Melhor ser ecologicamente incorreta do que falsa.

Beijo.

A. Marcos disse...

E eu aqui imaginando que estava só com essa visão. ötimo saber que tem gente perto de mim pensando e sentindo o mesmo. Abraços.

e daí? disse...

essa causa não há nem perigo de adesão, o transito parece ate q ficou pior, as pessoas estão menos hipocritas ou ainda mais individualistas,...e só pra saber, na mesma data, dia sem carro era tb dia dos amantes!

Taís disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Taís disse...

Acho que na verdade, a única função desses "dias nacionais" é parecer uma pessoa do bem perante os amigos nas redes sociais, com os seus "eu vou", "eu curto" e etc...
Na prática, na hora do vamos ver, ninguém faz nada, nem um dia por ano. Acho sim que as pessoas estão cada vez mais individualistas e até tem algumas razões para isso, como as que você citou (exceto o tamanho do salto...).
Puro exibicionismo.

Sentimental ♥ disse...

é a lei do menor esforço achar q só um dia ou só uma vez é suficiente pra resolver alguma coisa... ou alguma causa.

e viva o rivotril!