Páginas

domingo, dezembro 04, 2011

Eu, em você.

Já comentei aqui minha preferência pelo politeísmo (o que, aliás, custou-me a perda de alguns leitores monoteístas mais aguerridos e menos dispostos a aceitar minhas ilações filosóficas).
Fui abandonado por mais alguns quando comecei a manifestar meu apreço por pensamentos orientais, em particular os relativos ao Tantra.
Uma das coisas que que me encantam nos ensinamentos esotéricos e nas filosofias orientais milenares é a idéia de que as palavras não são suficientes para "iluminar" o indivíduo.
Há coisas que não podem ser ensinadas.  O máximo que se pode fazer é conduzir o aprendizado.
As maioria as religiões monoteístas ocidentais se baseia "na Palavra", assim mesmo, com "P" maiúsculo, para que não seja contestada ou questionada.  A "Palavra" deve ser ouvida e assimilada sem discussão, porque assim deve ser a fé.  Respeito e temor são os instrumentos desse aprendizado.
Já no outro mundo, as palavras são artifícios para estimular o questionamento - os "koans" (uma espécie de pergunta sem resposta) são um bom exemplo. E, sempre que possível, o aprendiz é levado a participar de vivências que tem o mérito de tirá-lo de sua zona de conforto e expandir sua percepção.
Até nos pequenos detalhes essa diferença se faz sentir.
Se tomamos os 10 mandamentos, imperativos como só os mandamentos podem ser, a exceção de "guardar o sétimo dia" (que como mandamento, convenhamos, deixa a desejar) todos os outros poderiam ser substituídos por uma única orientação dada em Levítico 19,18 - "Ama a teu próximo como a ti mesmo".
Teria sido melhor, talvez, afirmar "ama o teu próximo como ele gostaria de ser amado", mas as palavras, principalmente quando mandatórias, são sempre limitadas.
Em parte do oriente, particularmente na India e no Nepal, hindus e budistas entre outros costumam utilizar uma saudação simples, mas profunda: "Namaste".   Muitas vezes essa saudação é apenas gestual, dispensando o uso da palavra.
A tradução da palavra Namaste é, ao pé da letra,  "eu me curvo diante de você", mas seu significado é o reconhecimento no outro da mesma divindade que anima quem faz o cumprimento.
Nesse sentido, pode ser interpretada como "o Deus que está em mim saúda o Deus que está em você", com o reconhecimento implícito de que se trata do mesmo Deus, independentemente da forma pela qual eu e você costumamos tratá-lo.
Indo mais além, é uma forma de reconhecer que temos algo muito importante em comum, que partilhamos algo essêncial.  Um passo importante para aceitar que somos mais do que irmãos. Somos, na verdade, uma só divindade distribuida momentaneamente em duas embalagens diferentes.
Essa aceitação cria uma condição bastante favorável para o amor ao próximo que será, por força da similaridade, igual ao amor por si mesmo.
Mas não como uma imposição ou mandamento.  Como decorrência da compreensão de que não há como ser diferente.
E se a razão não bastar, você sempre poderá contar com vivências (individuais ou grupais) preparadas pelos mestres para facilitar essa compreensão.
Por isso não estranhe quando eu te tratar com mais intimidade e carinho do que seria esperado.  É porque estou me reconhecendo em você.

23 comentários:

Dicas da Carolina disse...

Namastê Flávio, abraços, Carolina.

C. disse...

Flavito, de todas as "religioes" que li, fui atrás de conhecer, ainda sou crista, até porque foi onde mais encontrei o que buscava.
Um beijo!

Anne disse...

Namaste...

Texto brilhante. Temos muito que aprender com este "outro mundo"!

beijos
Anne

Berzé disse...

Democracia implica(palavrinha inadequada)em ampliar. Até mesmo deus.
Abraço!
Berzé

Pelos caminhos da vida. disse...

Namastê.

bom domingo Flávio.

beijooo.

Carla P.S. disse...

Namastê!

Luna Sanchez disse...

Que perfeito isso tudo, Flavio!

Se eu disser que teu texto me apeteceu e eu o devorei e o digeri com toda a suavidade, tu consegue perceber exatamente a minha intenção, certo?

Pois é.

Adorei!

Um beijo.

Flor de Lótus disse...

Oi,Flavio!Vim aqui através da Luna!Namastê é uma saudaação muito bonita e sempre que paro pra pensar um pouco na vida e na natureza penso nessa expressão ,afinal Deus está em tudo,no mar, nas árvores, nas flroes,mas nós muitas vezes nos esquecemos disso.
Beijosss

Paulinha Costa disse...

Também me encantei com as filosofias orientais nos primeiros contatos. Parecia que eu estava reconhecendo algo que para mim já fazia todo o sentido. Foi a mesma sensação que tive aqui hoje. Você escreveu algo que eu reconheci instantaneamente. Só querendo a amplitude para enxergar que existem outros olhares, outros lugares, outras formas de ser. Namastê, adoro!

Flavio Ferrari disse...

Carolina: tks pela visita. Ainda bem que seu anjo não ficou bravo.

Flavio Ferrari disse...

Cris: Não tinha a intenção de faze-la mudar de ideia. Trazer você de volta ao Arguta já é um grande feito. bj

Flavio Ferrari disse...

Anne: tks. Você é sempre generosa com meus escritos.

Flavio Ferrari disse...

Berzé: a democracia seria melhor sem os "implicantes" .. rs

Flavio Ferrari disse...

Ana: Namasté ;)

Flavio Ferrari disse...

Carla: ... com café !

Flavio Ferrari disse...

Luna: minha mulher vai acabar ficando com ciúmes de você ... rs

Flavio Ferrari disse...

Sibele: Tks pela visita. Volte sempre. Tenho um particular apreço (elegante isso, não) pelas gaúchas que frequentam o Arguta. A Luna, a Carla e a Anne são as mais assíduas e muito queridas.
Bem vinda.

Flavio Ferrari disse...

Paulinha: é gostosa essa sensação de se reconhecer no outro, ainda que seja num texto, não ? bj

Avz disse...

Flavio, qual a sua concepção de Deus?
Ultimamente venho me interessando por essa questão e como tudo sensato ("sensato" na minha visão) que leio nega de pronto a bíblia ou qualquer outro texto sagrado, a idéia de Deus fica confusa (menos no ateísmo, claro). Muita gente diz que acredita num Deus que "é tudo", que "está nas coisas", que é "o que a ciência não explica" e no seu texto "que está dentro de nós". Acho que alguns sentem e acreditam de fato na presença dele em uma dessas definições, outros apenas não querem deixar de acreditar na figura e outros o usam quase como figura de linguagem / expressão / conceito, sem se questionar (ou sem se importar) se aquilo de fato existe, já que o conceito por si só já basta.
Você, que sempre tem uma visão interessante das coisas, como vê a questão?

Avz disse...

Flavio, qual a sua concepção de Deus?
Ultimamente venho me interessando por essa questão e como tudo sensato ("sensato" na minha visão) que leio nega de pronto a bíblia ou qualquer outro texto sagrado, a idéia de Deus fica confusa (menos no ateísmo, claro). Muita gente diz que acredita num Deus que "é tudo", que "está nas coisas", que é "o que a ciência não explica" e no seu texto "que está dentro de nós". Acho que alguns sentem e acreditam de fato na presença dele em uma dessas definições, outros apenas não querem deixar de acreditar na figura e outros o usam quase como figura de linguagem / expressão / conceito, sem se questionar (ou sem se importar) se aquilo de fato existe, já que o conceito por si só já basta.
Você, que sempre tem uma visão interessante das coisas, como vê a questão?

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Coisa boa chegar da Yoga e achar isso aqui! SHANTI!

Flavio Ferrari disse...

André, meio difícil responder isso aqui e por escrito (podemos tomar um café juntos - ou uma garrafa de vinho) e bater um longo papo sobre o assunto. A idéia de um amigo imaginário concebido a nossa imagem e semelhança ou projetado a partir de nossas paixões não me satisfaz. Mas é, possivelmente, a única forma pela qual a grande maioria das pessoas consegue se relacionar com algo que está além da nossa compreensão racional. É quase inevitável "personificar" Deus. A personificação é um artifício metonímico (por falta de uma palavra melhor no momento) que nos ajuda na relação com o inconcebível.
Ainda que eu sugerisse que deveríamos buscar sentir a "presença" de Deus como alternativa a explicá-lo, nosso esforço estaria limitado por nossa capacidade de perceber e pela necessidade de interpretar de acordo com o nosso repertório.
Tudo isso que falei parte da premissa de que Deus existe.
Mas, para complicar um pouco mais a situação, o conceito de "existência" também vale uma larga discussão filosófica.

Unknown disse...

網頁設計 網路行銷 關鍵字廣告 關鍵字行銷 餐飲設備 製冰機 洗碗機 咖啡機 冷凍冷藏冰箱 蒸烤箱 關島婚禮 巴里島機票 彈簧床 床墊 獨立筒床墊 乳膠床墊 床墊工廠 產後護理之家 月子中心 坐月子中心 坐月子 月子餐 銀行貸款 信用貸款 個人信貸 房屋貸款 房屋轉增貸 房貸二胎 房屋二胎 銀行二胎 土地貸款 農地貸款 情趣用品 情趣用品 腳臭 長灘島 長灘島旅遊 ssd固態硬碟 外接式硬碟 記憶體 SD記憶卡 隨身碟 SD記憶卡 婚禮顧問 婚禮顧問 水晶 花蓮民宿 血糖機 血壓計 洗鼻器 熱敷墊 體脂計 化痰機 氧氣製造機 氣墊床 電動病床 ソリッドステートドライブ USB フラッシュドライブ SD シリーズ