Páginas

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Metas e Promessas

Um bom planejamento estratégico para uma empresa deve resultar em um conjunto de metas realizáveis, com prazos definidos, planos de ação compatíveis e responsáveis bem definidos e comprometidos.
Uma boa prática é a eleição de prioridades estratégicas. De um modo geral não é possível realizar todos os projetos desejados de uma vez. A empresa deve respeitar a disponibilidade de recursos e definir metas ano a ano, segundo sua relevância para os negócios.
Num ambiente organizado e controlado como costumam ser as boas empresas, é relativamente fácil avaliar a capacidade de realização e entender a adequação dessa decisão.
Na âmbito pessoal a questão é mais complexa.
Estamos chegando no final do ano e é bastante comum elaborarmos listas de "promessas" para o ano novo. Emagracer, deixar de fumar, fazer exercícios. comprar um imóvel, viajar para um lugar diferente, trocar de emprego, arranjar um emprego, casar, fazer novos amigos, ser mais organizado, ser menos obssessivo, fazer um curso sobre vinhos, andar de balão, pular de para-quedas, voltar a frequentar a igreja aos domingos, levar os pais para aquela viagem, aprender inglês, fazer um curso de teatro, retomar a turma do volley, sorrir mais, chorar mais, viver mais ...
Fato é que, não raro, também não temos recursos para todos esses planos. Se tentamos realizar todos de uma vez, acabamos por não concretizar nenhum.
Por isso, vai aí uma sugestão. Escolha um. O mais importante segundo qualquer critério. E comece o ano se dedicando exclusivamente a ele. Se conseguir acabar antes do final do ano, pode começar outro. Mas não comece outro sem terminar o primeiro.
Daqui a 10 anos, você terá realizado as 10 coisas mais importantes de sua vida.
Parece fácil, não.
E se você acha que isso é pouco, examine o passado. O que você realizou nos últimos 10 anos tentando fazer tudo de uma vez ? É muito provável que, como a maioria das pessoas, você não tenha sido capaz de concretizar uma promessa por ano. Muitas devem ter ficado pela metade.
Por isso, meu desejo para você, caro companheiro (a) de café, é que seja capaz de realizar pelo menos uma coisa importante no próximo ano.
Feliz 2007.

11 comentários:

Glaura disse...

Flá,
isso não era uma meta, até porque eu não sabia da enorme necessidade disso em minha vida, mas consegui dar um pouco mais de valor a mim mesma e isso parece estar fazendo com que eu seja melhor mãe, melhor profissional e talvez melhor pessoa, em certo sentido...
O caminho ainda é longo, mas já dá para comemorar, não é?!
Então, concordo com você, desejo a todos um 2007 com uma realização por vez e que as demais venham na esteira...
Conte comigo! E, como diriam as meninas: OK, 1,2,3,...

Amanda Arthur disse...

Flávio,
Sei disso, mas sempre esqueço... Difícil é escolher! Rsrsrs.
Mas, uma coisa de cada vez! É isso, ai. E, fazendo uma conta um pouco diferente, se cada um realizar um grande desejo, quantas não serão as realizações ao final do ano? Muitas!!! Milhares!!! Milhões!!!
Beijo carinhoso e um 2007 bem bacana pra você e para os colegas do café,
Amanda

Flavio Ferrari disse...

Glaura: use o pouco de valor a mais que você se deu para exigir o resto que você merece...
Amanda: taí, gostei da conta ... serão bilhões ... espero que sejam compatíveis entre sí ... talvez se excluirmos os políticos ...

udi disse...

Alegria e amor, prá mim, ainda são os ingredientes indispensáveis sempre que penso no que desejo para o novo ano. Quanto às realizações, a melhor coisa é entrar num novo ano já realizando, já emagrecendo, já parando de fumar...
2006 foi um ano de tantas novidades que chego ao final com a sensação de que ele ainda é novo... assim, desejo a você que 2007 se apresente novo a cada dia, prá que você possa ter e realizar um novo desejo a cada dia.

Ernesto Dias Jr. disse...

Flavio:
Vou propor uma idéia: porquê não podemos dizer que, cada vez que realizamos um sonho, conquistamos um cume, descobrimos um novo amor, começa um novo ano para nós? Se cada vez que isso acontece o tempo muda de cara?
Cada um de nós não tem seu próprio calendário emotivo, íntimo, pessoal?
Por isso, amigo, te desejo, e a todos que te cercam, muitos anos novos na escala que o Papa nos impôs. Que a cada conquista, não importa se pequena aos olhos dos transeuntes, mas importante e querida para vocês, saiam ao ar livre e respirem um Ano Novo.
Grande abraço, e felicíssimo 2007!

Ti Bell disse...

Flávio,

Viver um dia de cada vez e buscar aproveitar cada segundo, cada minuto, sejam esses bacanas, super bacanas, chatos, tristes ou alegres... Esta será a minha meta para 2007!!

Assim posso aproveitar um pouco do toque da Udi (já iniciei em 2006) e um pouco do toque do Ernesto (viver cada dia, fará com que o próximo seja sempre um recomeço!!)

Um 2007 novo a cada dia para você!!

Flavio Ferrari disse...

"O passado, passou. O futuro ainda não existe. O presente é tudo o que temos. Por isso se chama presente, é uma dádiva." (autor desconhecido)

Meus caros amigos, o poeta romano Horácio, que viveu no último século antes do início da era cristã, em sua obra "Odes" ensinava: "Carpe diem quam minimum credula postero" (colha o dia, confia o mínimo no amanhã.

Turminha inteligente essa aqui. É por isso que gosto de tê-los (e lê-los) no blog.

Feliz Ano Novo, todo dia !

alberto a v alves disse...

Flávio,
Concordo plenamente em "Viver" o presente com toda a força e intensidade possível e lembrar de que faz parte deste presente o "Plantar" para que possamos ter o colher no futuro que ainda não existe.
Que tenhamos todos um Maravilhoso e Realizador 2007.

Flavio Ferrari disse...

Albertinho ... você voltou !!!
Que bom.
Espero que tenha um excelente ano.
Você bem merece.

doppiafila disse...

Voce se imagina propondo esta idea no próximo board meeting??? "Este ano, vamos nos concentrar em abrir na Angola (exemplo). Quando tivermos aberto lá, vamos pensar nos outros objetivos...." Voce devería provar!! (e me contar... ;-)

Terra disse...

FF,

Nos últimos anos eu percebi que existiam algumas "palavras" que eu teria que seguir, ou que seriam o meu eixo durante aquele período de 12 meses, para que eu me encontrasse e entenda também o nosso sentido.

Bom,
em 2005... eu percebi que Todos precisavem ter critérios. O mundo precisava de critérios. E, como acho que todos devem fazer a sua parte... ainda levando em consideração o que você postou sobre a nossa resposabilidade sobre aquilo que fazemos e somos, Os Meus critérios permearam as minhas escolhas durante aquele ano, assim, busquei deixar sempre muito claro quais seriam eles.

em 2006... eu entendi, baseada nas minhas experiências que não bastava ter critérios, senão que mais importante ainda era ser coerente com os seus critérios. Sempre. Ser sincero com vc mesmo. E assim foi...durantes os 12 meses de 2006 prestei muito atenção nos meus próprios atos...e na minha coerência... às vezes na minha coesão também...(rs)

e me pergunte então o que permeiaria o ano que começou, ou o ano que chega. Digo isso por que, inclusive, já me perguntaram...

Não escolho assim à toa, existe uma lógia, que às vezes pode ser um pouco ilógica, mas que faz sentido nesta decisão. baseada também, então no ano que passou, percebi que, além de estabelecer critérios, ser coerente com eles (ou comigo mesma) era importante, mas que faltava ainda um pouco de organização nisso tudo pra que eu fosse mais feliz, encontrasse minha identidade e ...

em 2007... bom, em 2007 entendi que precisava de prioridades.
E desejo que eu consiga identificá-las e logre botá-las em prática.

Fico feliz em tê-lo como um amigo neste ano que chega.
Feliz 2007!

Terra.