Páginas

quinta-feira, abril 05, 2007

Interpretação

Recebo a ligação de um desses prestadores de serviço (ou desserviço).
- Boa tarde, senhor. Estamos fazendo uma pesquisa para avaliar sua satisfação com nossos serviços. No final de seu contrato, o senhor pretende renová-lo ou ainda está em dúvida ?
Ao que eu respondo:
- Meu caro, o serviço de vocês é tão ruim que não sei se vou ao Procon ou à Polícia....
E ele:
- Em dúvida, então ... muito obrigado e boa tarde.

8 comentários:

Ti disse...

Outro dia assisti a uma explicação de como rentabilizar mais o atendimento ao Cliente nos Call Centers.

Hoje você está definido como: ótimo, bom, médio ou péssimo cliente... Dependendo desta classificação a decisão gerencial é: "não gaste tempo com este cliente, a ligação custa muito dinheiro..."

De acordo com sua resposta, suspeito que você esteja entre o médio e o péssimo!!

Ernesto Dias Jr. disse...

É... os cow centers estão cada vez piores...

Ernesto Dias Jr. disse...

Uma vez tentei falar com meu amigo Coimbra, lá de São José dos Campos. Seu escritório não respondia. Chamei no celular. Ele me disse que seu telefone estava com defeito, e eu me ofereci para fazer a reclamação de defeito na Telefoníca. A atendente do cow center (vaquinha de presépio) disse que só o assinante poderia reclamar um defeito. Argumentei que não era possível, uma vez que seu telefone estava com defeito. Em vão.
Então, num lampejo de imbecilidade, perguntei a ela se EU poderia reclamar do MEU telefone. A moça foi enfática: "Ah! do seu telefone pode!"
Então eu falei:
"Anota aí: o meu telefone tem um defeito. Ele consegue ligar para qualquer número, menos para este..." e dei o número do Coimbra.
A moça registrou a queixa, e até me deu um número de protocolo.
O telefone foi consertado.

Amanda Arthur disse...

Genial, Ernesto!
Se me permite, vou tomar emprestado o "cow center" de vez em quando...
Ti, isso sempre me intrigou: se custa tão caro, não deveriam gastar tanto dinheiro aborrecendo clientes. Anti-marketing, na minha opinião.
Sou defensora da existência de uma lista "do-not-call" no Brasil, assim como fizeram nos EUA.

Anne M. Moor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anne M. Moor disse...

Diria eu que este não está tão robotizado... até conseguiu classificar o Flávio e parar a "gravação" memorizada!!!!
E a do Ernesto está robotizada ao Pfumffffffffffff grau!!!!!
Mas não são somente os Cow Centers (gostei do nome), try the banks!!!!!!!!!

Udi disse...

E a gente vai desenvolvendo uma sensibilidade mais aguçada para lidar com os cow centers: muitas vezes, logo no início do diálogo, meu processador já sabe distinguir se aquele antedente vai ou não conseguir me ajudar, daí eu já logo falo: "olha, vamos encerrar esta ligação que eu vou ligar de novo prá falar com outro atendente". Não podemos ignorar que, antes do atendente há uma pessoa e que há diferenças de pessoa prá pessoa.

Flavio Ferrari disse...

Adorei o pfunf grau...
E na onda dos trocadilhos ernestianos, melhor seria tranforma-los num cal center e botar uma pá de cal nisso tudo.