Páginas

quarta-feira, agosto 15, 2007

Teatro Grego

Fora da cidade, para variar, a trabalho, eis-me aqui no quarto do hotel lendo Lisístrata, de Aristófanes.
Sou fã do conceito do teatro grego. Segundo me venderam, seu principal objetivo era preparar o espírito para as experiências mais cabeludas da vida. Por isso, em sua maioria, o teatro clássico grego é repleto de tragédias (de onde a expressão "tragédia grega").
Lisístrata - A greve do sexo- é, aparentemente, uma peça off Athenway (fora do circuito principal do teatro de Atenas).
Logo no primeiro diálogo da primeira cena, quando Lisístrata cumprimenta Cleonice, essa responde (na tradução feita por Millor Fernandes):
- Bom dia, Lisístrata. Magnifico dia para uma bacanal !
A peça, embora divertida, é razoavelmente séria. Trata das lutas fraticidas e da estratégia das mulheres para terminar com elas: uma greve de sexo.
Ainda não acabei de ler, mas já recomendo....


23 comentários:

Ernesto Dias Jr. disse...

Conheço a peça (no pun intended...)
Veja como era mole a vida dos gregos (e quão pouco exigentes as mulheres de Atenas): Era só parar de matar espartano e pronto...

Ernesto Dias Jr. disse...

ALIÁS, me ocorre que é uma excelente leitura para a mulher moderna, que se pensa pioneira no pensamento sobre a própria condição.
Meninas, os diálogos de Lisistrata com os marmanjos fazem Rose Marie -- e qualquer feminista, by the way -- parecer uma sindicalista de beira de cais.
E meninos, atentem para o fato de que o autor é homem, pra descobrir que o "homem moderno" já existia na Grécia antiga. Dando banho na gente.
Recomendadíssimo.

É! disse...

pô, mas elas não estavam sendo coerentes... ao puní-los, estavam punindo a si mesmas!

Anne M. Moor disse...

Há muitos anos vi um filme com esse nome - A guerra do sexo - engraçadíssimo, mas com uma mensagem interessante... Não li o dito ainda, mas lerei...
Erica... não é bem assim... :-)

Ti disse...

Érica,

Concordo com a Anne, naquela época as mulheres eram pouco valorizadas e, neste sentido, o sexo só deveria responder ao prazer do homem...

Sentir-se desejada faz parte do prazer... No fundo poderia ser uma bela estratégia!!

É! disse...

Concordo! É uma bela estratégia, mas greve, greve, aí já é demais...

Udi disse...

Sei não, gente... não gosto dessa brincadeira de "exercer o poder" nas relações meninos e meninas.
Please! ...só disse que "sei não"... não estou afirmando categoricamente.

Gui Ferrari disse...

Filho mais novo do Flávio falando (Gui). Primeiro me desculpo a meu pai, porque nunca entro aqui neste café, e para a posição de filho isso é uma sacanagem... hehehehe

Quanto aos gregos..
"o sexo só deveria responder ao prazer do homem..."
teóricamente (ou pelo menos é o que ouvi dizer) o sexo por prazer na visão dos gregos da época era o do escudeiro, não é?
ops...

Ju disse...

Desculpem, mas concordo com a Érica.
Acho que o sexo é importante pra AMBAS as partes de forma igual.
A mulher que acha que o tesão desenfreado é uma coisa normal apenas para os homens, está precisando praticar mais o "Rock and Roll da pesada".

Anne M. Moor disse...

Gente, that's NOT the point!!! Concordo com a Udi aqui e o resto... Quero ler Lisistrata... pra ver exatamente o que foi colocado...
Mas, naquela época, as relações eram um tanto qto diferentes e hoje em dia AINDA tem algumas que continuam igual!!
E Ju, sexo é uma das 3 melhores coisas na vida...
Volto...

Ernesto Dias Jr. disse...

Gui:
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!

Já comecei a escrever minha tragédia grega: A Greve dos Escudeiros ou Como Lisistrata Perdeu Seu Poder De Barganha. RARARARARARARARA

Depois te dou o crédito devido

Ti disse...

Gui,

Que bom vê-lo por aqui... Volte sempre!!

Jú,

Concordo 100% com você...E melhor ainda saber que, felizmente, a evolução está permitindo que as mulheres possam se libertar... Agora que sempre haverá diferenças entre homens e mulheres, isto eu acredito...Não na intensidade do prazer, mas no como sentí-lo...

Maria disse...

Vou ler o livro.

Gui Ferrari disse...

só pra constar por aqui eu também fiz um blog!!! heheheh

Ju disse...

Ti...Isso sim!

Udi disse...

Gui: só por isso (seu blog) resolveu dar o ar da graça, né?

disse...

Gui,
vou la no seu blog.Tô achando vc tao espontaneo , adorando...

chico de ayer disse...

guau...
sueño con volver a la antigua Grecia o Roma..
lo que sea.


quiero salir del capitalismo/comunismo = sionismo
AHORA YA!

jajaja,
definitivamente no encajo en la sociedad de mercado x.x




marcel ^^

Jorge Lemos disse...

Rompida as correntes, a partir da capa e do primeiro diálogo.

Flavio Ferrari disse...

Comentários perolados ...
Jorge, lembrando da capa e do romper paradigmático que representou a comédia no teatro grego. Esses caras inventaram a civilização e registraram seus extremos. Shakespeare preencheu o hiato entre a tragédia e a comédia com o romance.
Ernesto com a greve dos escudeiros... aguardo trêmulo.´
Maria, que vai ler o livro assim que acabar o que estiver fazendo (rs).
Ti, Lu, Érica, Anne, Udi e Ju, nossas feministas femininas que sabem tuuudo da matéria. Gostosas.
E que gostoso ter o Gui por aqui, ainda que seja para fazer propaganda do seu blog. Se for para frente vai ser ótimo. Ele realmente é um cara muito expontâneo, como bem percebeu a Lú (lady Perspy).
E o animado Chico de Ayer, que transformou-se no Marcel de Hoy, pouco geográfico mas muito interesado no assunto...

Walmir Lima disse...

Fazia greve de sexo, com essa tal de Lisístrata, queria dormir com a mãe, com esse tal de Édipo, raptava a mulher dos outros, com esse tal de Páris...Grego antigo era meio doido mesmo!

Walmir Lima disse...

Tá certo que Páris era Troiano. Mas Grego e Troiano é que nem Baiano e Sergipano - é tudo igual!

Walmir Lima disse...

E bem que a Helena, que era Grega, gostou...