Páginas

quarta-feira, janeiro 28, 2009

Meio grilado


Hoje passei o dia meio grilado.
E veja só o que me aparece no teto do quarto, em plena selva de pedra da região da Av. Paulista (onde moro).
Definitivamente, o modo como o Universo se relaciona comigo é cômico.

22 comentários:

Flavio Ferrari disse...

E a pergunta que não quer calar:
1. Enxoto o grilo
2. Alimento o grilo
3. Deixo o grilo para lá e vou dormir, esperando que no dia seguinte o grilo tenha sumido ?

Fernanda disse...

É um sinal para você entender que tudo não passa de um grilo que amanhã vai estar cantando em outro quintal! :-)

Fernanda disse...

ENXOTA O GRILO!

Érica Martinez disse...

um dia cheguei em casa e minha vó falou que um Escorpión (assim, com sotaque) tinha entrado pela janela e picado a sua perna...
PS: moro no 8o andar de uma avenida ultra movimentada...
Verdade ou fantasia?

no mais, sobre o grilo, dá sorte!

Anne M. Moor disse...

Deixa o grilo quieto que ele retoma seu caminho...

Bjos de bom dia!

Udi disse...

Se ele não estiver cricrilando, deixa ele!

V• disse...

hahahaha! tadinho dele, só tira ele de lá, ele também merece viver :D

não, não li. por que?

Flavio Ferrari disse...

Acordei pela manhã e o grilo sumiu.

Flavio Ferrari disse...

Oi V. - foto nova no blog ... legal ver sua verdadeira face...
Perguntei porque o livro esta relacionado com a "a primeira vez é sempre a única chance".
É um livro de Marketing, mas interessante para qualquer situação de vida.
Senso de oportunidade.

Flavio Ferrari disse...

Minha avó sempre dizia que o travesseiro é um bom conselheiro.

A.Tapadinhas disse...

Não podia dormir sobre o problema: esborrachava o grilo.
Mas dormiu e o problema ficou resolvido!
Chama o Ernesto para resolver esta equação!
:)
António

doppiafila disse...

Será este????
http://www.forroemvinil.com/?p=387

Luana Ferraz disse...

Quantos textos, quantos outros livros e quantos ainda estão por vir se tudo continuar assim, dessa forma misca, miserável, vunerável de viver. De querer enfrentar o caos como se nada tivesse acontecido ao coração. Colocando a razão como carro chefe e deixando que ela guie: SOU DURO NA QUEDA E VOU NO MESMO BRACO.
Que se dane esse mar mediocre sabe, não consigo mais acreditar, por mais que amanhã me veja encantada, por mais que eu ainda queira um homem digno para estar do meu lado, e, incoscientemente ainda acredite que ele possa chegar até a mim... Mas por esses dias, ando com abuso, fatigada desses relacionamentos vazios que fazem depois da noitada, colocar a cabeça no travesseiro e pensar se amanhã poderá ser tudo diferente. Porém, tudo igual, sempre igual.
Vou visitar o vestiário sim, tentar compreender um pouco do universo de lá.

Obrigada pela tua visita, adoro, sempre.

BEIJOS

Suzana disse...

Pelo menos não era o grilo falante.
Quando tiver alguns abacaxis pra descascar me avise, podemos fazer um suco com vodka, fica bom demais.
Não enxote o pobre grilo .

Flavio Ferrari disse...

Tapadinhas: sempre radical. Não lhe ocorreu pintar o grilo de outras cores ?

Flavio Ferrari disse...

Paolo: não negas os genes brasileiros.

Flavio Ferrari disse...

Luana: se você morasse um pouquinho mais perto, iria te visitar para um café...

Flavio Ferrari disse...

Susana: será que grilo frito acompanha bem uma cervejinha ?

Suzana disse...

Certamente, a já que tens o grilo eu levo a cerveja.

Ti disse...

Os grilos muitas vezes parecem imaginação... Você olha e lá estão, vira, olha de novo e puf... sumirão!!!

Mas tem sempre os chatinhos que ficam a noite inteira... E neste caso, dificil encontrar o caminho para mandá-los embora...

Flavio Ferrari disse...

Ti: quando você está por aqui, não tem grilo ...

Ti disse...

Delícia!!!