Páginas

terça-feira, setembro 22, 2009

Gedeão, o filósofo, no vestiário

Gedeão, o filósofo de plantão, mostra que é um homem antes de tudo e publica suas máximas lá no vestiário masculino.

4 comentários:

Ti disse...

A verdade nua vc ja postou, a crua é que não ha o que comentar...

Beijos

L. disse...

Moço, hoje é dia de SEXO VERBAL. Dê um pulo lá.
Um beijo,
L.

Gulossita disse...

Vim porque nunca vi um comentário tão equilibrado, delícioso como o seu no sexo verbal, copiei, colei, Amei. Obrigada ( copiei colei)

Sobre Caio F.Abreu

Tem pinta de ter sido um cara inteligente e um pouco a frente de sua época.
O textículo que você postou é um indicador disso.
Hoje (diferentemente do que acontecia há 20 anos), sexualidade não está mais associada à moral ou integridade e creio que se possa falar de preferência sexual antes de homosexualismo. A polisexualidade choca menos.
Mas acho que defender a inexistência da homosexualidade é uma atitude preconceituosa. Provavelmente não é o caso do Fernando, que faz da afirmação um recurso retórico.
Eu sou mais amante da observação do que das teorias.
Conheço meninos e meninas que só tem tesão pelo mesmo sexo e que não me parecem haver chegado alí em função de traumas familiares ou sociais.
Conheço gente (como eu) que não tem nenhum tesão pelo mesmo sexo mas não faz disso uma bandeira moral.
E conheço gente que tem tesão sem fronteiras.
Também conheço gente que faz da sexualidade um instrumento de negociação com a sociedade (diálogo ou confronto).
E, ainda, gente que não sabe o que quer, gente que se deixa levar, gente com problemas em relação à sexualidade e gente quase assexuada.
E gente que detesta giló, que adora ostra e que tem medo de altura, sem que ninguém faça disso um drama.
Eu acho que a gente só deve se preocupar com a sexualidade se não está se divertindo com ela.
Deve ser porque acho que o sexo é um dos maiores prazeres da vida.

Prazeroso demais ter lido voce.

Dri Viaro disse...

vou dar uma espiada :)
bjss