Páginas

sexta-feira, dezembro 11, 2009

DEU NO JORNAL - Tragicomédia em um ato

O dia amanheceu, Renata acorda e Roberto já está na cozinha, como de hábito, sentado à mesa lendo jornal, com sua insubstituível calça de pijama xadrez e a camiseta branca surrada. Cabelos desgrenhados e óculos de leitura. Inspiraria ternura, se Renata não estivesse tão frustrada.
Renata chega na cozinha, saída do chuveiro, envolta apenas no roupão.
- Bom dia ...
Roberto não responde, absorto na leitura.
- Bom dia !
- Ahm ... ? - Roberto desvia por um segundo os olhos do jornal
- Eu disse bom dia.
- Ah... acordou ? - voltando para a leitura.
- Porque essa ironia agora ? Só porque eu estava com dor de cabeça ontem ? Onde é que está escrito que eu preciso estar à sua disposição todo dia ?
- E eu tenho que aceitar uma coisa dessas !!!! ? – exclama Roberto , abrindo os braços num gesto amplo e voltando-se para Renata com ar interrogador.
Renata recua um passo.
- Não era o que eu queria – ela consegue dize meio sem coragem.
- Ninguém queria. A CPMF devia ter durado 1 ano. No máximo 2. E taí ... prorrogaram de novo ... Vai ver se estão usando o dinheiro direito, vai ...
- ele diz, golpeando o jornal com as costas da mão direita.
- Mas é o fim da picada !!! – Renata reagiu indignada.
- Pois é ....
- Digo, você ... eu .. nós dois, aqui ....nossa relação ...é muito triste o que está acontecendo com a gente, Roberto ...
- Muito triste ... muito triste .. e o barbudão lá, fingindo que não sabe de nada ... As coisas acontecendo debaixo do nariz dele e ele não vê ...
- Roberto !!!! - desse jeito não vai dar para continuar ...
- É o que eu digo ... é o que eu digo .... – Renato vira a página do jornal
Renata olha para Roberto desalentada ... respira fundo, toma coragem e fala:
- Roberto, estou interessada no Ciro !
Roberto levanta os olhos do jornal, puxa os óculos para a ponta do nariz, faz uma pausa e diz, com voz grave.
- É um bom candidato .... mas uma opção perigosa ... – balança a cabeça e volta para o jornal.
Renata se desespera.
- Estou falando do Ciro, nosso vizinho do 33 .... Eu não queria ... mas ele é tão gentil comigo quando a gente se encontra ... repara no meu cabelo, carrega as compras para mim, ... outro dia até me deu uma flor ! Sabe quando foi a última vez que você me deu flores, Roberto ? Sabe quando foi ?
- Bem ... o último cargo executivo foi como Governador do Ceará, no início da década de 1990 ... De lá para cá, só sabe trocar de partido e de mulher ...
- É você quem vai acabar trocando ..... – em tom de sarcasmo.
- Nunca !!! Venha cá, querida ....
Renata sorri, faz um biquinho e se aproxima de Roberto que a abraça pela cintura e fala num carinhoso tom professoral.
- Tem coisas, meu amor, que a gente nunca pode trocar ... que conquistam nosso coração, que aprisionam nossa alma, que fazem a gente se sentir que está fazendo a coisa certa na vida ...
Renata sorri emocionada.
- É por isso, minha querida, que eu posso dizer com toda a tranqüilidade ... De partido político, eu não troco nunca ! – ele sorri orgulhoso e volta para o jornal.
Renata, indignada, abre o roupão (de costas para a platéia), e rebola enquanto fala.
- Fique sabendo que aquilo que você não quer, tem muita gente querendo ...
Roberto responde sem tirar os olhos do jornal.
- Deixo para os oportunistas, como o Ciro ...
Renata fecha o roupão com raiva e diz:
- Para mim chega !!!
Renata sai em direção à porta.
Roberto levanta os olhos dos jornal e pergunta:
- Onde é que você vai ?
- Vou ver se o Ciro está precisando de alguma coisa ....
- E o café ?
- Pede para a Dilma - e vai saindo da sala ...
- Mas a Dilma nem tem chance !!!!!
Roberto levanta, dobra o jornal, põe o óculos no bolso e diz para si mesmo:
- To com a sensação de essa eleição vai acabar mal ....

7 comentários:

Barbarella disse...

hauhauahuahauha
Adorei.....
'Pede pra Dilma'....pqp!!!!
Bjão

Carla P.S. disse...

Hahahahhaha...
Coloca aqui temas médicos e os meus colegas conversando entre si..
Dá pra fazer metáfora de muiiita coisa.
Um café em dia chuvoso!

Paula Jácome disse...

Nossa! Genail! Meu marido é assim, absorto. Qdo está na frente do computador, nem nada (eu sem roupa por ex. ) tira sua atenção.
Adorei!

Luna Sanchez disse...

Tão bom fazer monólogo a dois...não há nada mais eficaz para exercitar a paciência.

ℓυηα

Anne M. Moor disse...

Esse não sabe o que é medo!!!! rsrsrs

Sentimental ♥ disse...

kkkkk
só agora ele percebeu?
bjs

Flavio Ferrari disse...

Encenamos esse texto ontem, Amelia e eu. Uma farra !