Páginas

segunda-feira, dezembro 14, 2009

Respeito

Parece simples, mas não é ... respeitar e ser respeitado são tarefas complexas.
Não é de se espantar já que isso acontece com a maioria dos conceitos relativos.
Pode estar seguro de que, por mais que você se considere um exemplo de respeito, já pisou inúmeras vezes no calo de alguém.
Atrasar para uma reunião ou um encontro, por exemplo, pode ser considerado um gesto de desrespeito. Obviamente, quem costuma atrasar não acha nada demais e, provavelmente, não se incomoda com o atraso dos outros.
Deixar roupas espalhadas pelo chão, usar um objeto sem permissão ou descuidar no uso de coisas comuns, para quem divide o mesmo espaço, pode incomodar muito. Quando insistentemente repetidos, podem ser tomados até como gestos de agressão.
E como é que se resolve isso ?
Começando pela base do respeito, que é a consideração, e usando uma ferramenta clássica da civilização moderna, o diálogo.
Comunique o que te incomoda. Escute o que incomoda o outro.
E considere que convivência implica em negociação, atenção e cuidado.
Dividir espaços, na vida particular ou no trabalho, pode ser bem mais simples quando a gente está disposto a respeitar o outro.

11 comentários:

Érica Martinez disse...

putz, muitas, mas muitas vezes mesmo, me acho espaçosa pra caramba. sei que é péssimo e que papai reprovaria, mas não consigo, quando vi, já falei por cima, já espalhei minhas coisas, já tomei conta do mundo... é que às vezes não me caibo mesmo.

Udi disse...

Em geral, uma boa medida é: não faça ao outro o que não gostaria que fizessem a você.
Sempre bom lembrar, né? Boa lembrança!

Paula Jácome disse...

O grande lance do respeito, pra mim, está no olhar. É que a maioria de nós, grande parte do tempo, não olhamos o outro. Não enxergamos o outro como uma pessoa em si mesma. Olhamos os que estão à nossa volta como coadjuvantes da nossa história. Assim, fica impossível qualquer forma de respeito.

A. Marcos disse...

É como foi dito, muitas vezes não quem desrespeita não o sente ou não o sabe. Para que o respeito possa existir, em quaisquer circusntâncias, são necessárias duas coisas:
a) a explicitude de uma regra de conduta que deve ser seguida e as exceções a essa mesma regra;
b) a sanção em caso de desrespeito.

O ser humano é como os demais animais: sempre lhe faz o que lhe é conveniente e se afasta daquilo que não é.

Mesmo quando respeitamos os outros só o fazemos porque nos é conveniente fazer: seja porque não queremos que façam conosco e por isso damos o exemplo, seja porque queremos ter nossa consciência em paz, seja porque tememos a reação alheia.

Logo, o desestímulo por meio de uma sanção, precedido de clareza nas regras de conduta, é a chave (até mesmo nas relações pessoais) para que o respeito seja a regra e não a exceção.

Sentimental ♥ disse...

putz, e colocar uma perfeccionista pra dividir espaço com uma maria sei lá o que só pode dar m*, né?
sei bem o que é a questão da falta de respeito.
bjs

Simone Schuck disse...

É verdade, mas a falta de respeito com o outro é só uma extensão do individualismo de hoje. Ninguém liga se está incomodando outra pessoa... Isso é tão... mal educado!

Beijo

Tata disse...

Falou e disse! Rs
bjinhos

Beth Cerquinho disse...

Olá querido..visite meu blog oficial..
http://bethcerquinho.blogspot.com/
este eu atualizo todo dia...
Venha se divertir..
Abraço

Batom e poesias disse...

As vezes, o que consideramos "normal", é agressão ao(s) outro(s) e vice-versa.

O melhor, ainda é o bom humor.

beijinho (des)respeitosos

Rossana

Ti disse...

Udi,

Nem sempre o que incomoda o outro, incomoda a você...

Uma boa medida ainda é o diálogo!!! Esse sempre esclarece...

Beijos

Udi disse...

Claaaaro!
Falou a moça que sabe sobre entendimento entre pessoas.
Tem razão, Ti querida!
beijos saudosos.