Páginas

sexta-feira, fevereiro 24, 2012

De fonte fidedigna

A expressão é engraçada porque parece antiga.  Nesse mundo novo e pluri-autoral, o conceito de idoneidade das fontes anda mudando.
A Wikipedia, exemplo de geração coletiva de conteúdo, superou as enciclopédias convencionais.  As postagens dos amigos são mais críveis do que as notícias publicadas em veículos tradicionais.
Não é por acaso que as instituições vem perdendo sua credibilidade.  A internet aumentou nossa capacidade de compartilhar informações.  Antes da notícia ser publicada, alguém já te contou o que, de fato, aconteceu.  E, muitas vezes, somos surpreendidos com o tratamento tendencioso ou a informação incompleta  e superficial publicada por quem deveria isento e investigar mais a fundo os acontecimentos.
Lembro-me da primeira vez em que fui surpreendido pela manipulação de uma notícia publicada por um importante veículo de comunicação.
Antes da matéria ser publicada, tive a oportunidade de conversar com o editor responsável e expliquei (apresentando informações consistentes e irrefutáveis) que a abordagem a ser dada era tendenciosa.
Para meu desencanto, o editor ignorou os fatos e manteve o enfoque original, por razões políticas.  Distorceu deliberadamente a realidade, com conhecimento de causa e objetivos alheios ao interesse dos leitores.
Fiz o que estava ao meu alcance.  Disseminei a informação correta para quem pude (na época pré-internet isso era mais difícil), cancelei minha assinatura do veículo, recusei-me a dar entrevistas ou informações dali para frente (o que acontecia vez por outra, pela posição que ocupava) e, até hoje, quando alguém menciona essa fonte, desqualifico-a.
Mas não é só a mídia que apronta dessas.
É bastante comum que, aproveitando-se desse novo "poder" de comunicação, pessoas façam acusações ou críticas sem embasamento suficiente ou em função de uma agenda pessoal.
Eu sigo na minha "missão".  Quando acredito que vale a pena e conheço melhor os fatos, alerto se considero que alguma injustiça está sendo cometida.
E, lamentavelmente, constato que, tal qual as instituições, grande parte das pessoas também não está interessada nos fatos que se contraponham a sua opinião e, principalmente, ao seu desejo de falar mal dos outros.
Também elas perdem credibilidade.  Pelo menos comigo ...

3 comentários:

Anne disse...

Flávio

Tenho encontrado isso que dizes e dificuldade de gerar uma discussão gostosa sobre um assunto qualquer! Essa falta de interesse em trocar ideias, conhecer outros pontos de vista, etc. é algo que me entristece e, de certa forma, me assusta.

beijos
Anne

Paty Michele disse...

Fiquei aqui pensando sobre a notícia mais veiculada hj na internet: A condenação (por racismo) do Paulo Henrique Amorim. Seria a fonte confiável? Será que houve a tal manipulação?

vou apurar!

Sentimental ♥ disse...

é impressionante como 'omitir' fatos faz a coisa ficar mais interessante para alguns e pra outros causa repulsa. eu sinceramente perco o interesse em quem gosta só de jogar a merda no ventilador.