Páginas

segunda-feira, abril 24, 2006

Seu Chico, o governo e a Maracutaia


Confesso que fui irônico outro dia, quando falei do fruto da Maracutaia. Foi, sim, uma crítica velada ao desleixo e à conivência das autoridades brasileiras com a corrupção. Talvez tenha sido injusto. Em alguns casos, o governo tem demonstrado extrema preocupação com o dinheiro do povo. Vejam o caso do seu Chico, por exemplo. Seu Chico já ultrapassou a casa dos 80 anos e vive sozinho em uma pequena chácara nas proximidades de São Paulo. Já não trabalha. Vive do que planta e da ajuda de seus filhos. Na semana passada, após anos de disputa jurídica contra o INSS, obteve ganho de causa em primeira instância em seu processo de aposentadoria. O Juiz decretou que seu Chico teria o direito de receber aproximadamente R$ 350,00 mensais e ordenou o pagamento retroativo. Como isso representaria um desembolso em torno de R$ 9.000,00 que sairia dos cofres públicos, o INSS recorreu da sentença. Essa medida resulta em que o processo deverá se arrastar por mais 5 ou 10 anos, isto se o seu Chico tiver dinheiro para pagar um advogado e saúde para continuar lutando contra o INSS. A linha dura do governo com seu Chico é compreensível. O INSS toma medidas como essa justamente para evitar que gente como o seu Chico viva do fruto das Maracutaias. Já não bastam os milhões em malas, cuecas e contas em paraísos fiscais ? Não chegam os bilhões desviados em obras públicas faraônicas ? E ainda vem o seu Chico querendo levar seus 9 mil reais !?! Mesmo que tenha direito a receber essa quantia, seu Chico deveria ser patriota e ter uma visão mais abrangente da realidade brasileira. O dinheiro arrecadado pelo governo não dá para todo mundo. Seu Chico nunca ocupou um cargo público sequer em sua vida. Não participou de nenhum esquema e nem apoiou qualquer manobra. Não pode querer, portanto, ter prioridade na divisão do dinheiro do governo. Obviamente, a prioridade é dos que nele militam. Temos, portanto, pelo menos um exemplo de austeridade: a luta do governo para que seu Chico não se locuplete com os R$ 9.000,00 a que tem direito e, insensivelmente, insiste em receber junto com seu mensalão de 350 reais. Pelo menos nesse caso, o governo não está deixando brechas para o cultivo da Maracutáia. Em tempo: eu visitei a chácara do seu Chico. Lá tem um pouco de tudo, menos Maracutáia.