Páginas

quinta-feira, maio 01, 2008

A Diretoria

Uma das coisas divertidas do mundo empresarial é a mitificação das Diretorias.
Quase todo mundo que trabalha em uma empresa quer, um dia, fazer parte da Diretoria.
As razões são diversas. Uns almejam o "puder". Outros imaginam que ser Diretor é trabalhar pouco, ganhar muito e encantar o sexo oposto. Há quem sonhe com a liberdade de horários inerente à posição.
São raros aqueles que vêem a verdadeira natureza da posição de Diretor: servir a todos.
Lembro-me do dia em que um consultor contratado pelos acionistas da empresa onde trabalhava me perguntou:
- Quantas pessoas trabalham para você ?
- Nenhuma ! - respondi prontamente, para espanto do consultor. Aliás, talvez possa considerar que a minha secretária trabalha, de alguma forma para mim. ´Quanto aos demais, sou eu quem trabalha para eles.
Junto com a mitificação da posição, vem a das pessoas que ocupam o posto.
Diretores são percebidos, com certa inveja, como "seres superiores".
Fato é que, em sua maioria, são profissionalmente "superiores", pelo conhecimento e experiência adquiridos.
Do ponto de vista pessoal, o único traço comum aos que chegam e se mantém nessa posição, é uma capacidade superior à média de resistir à frustração.
Para ser diretor, a pessoa precisa gostar de problemas e ter uma acentuada vocação para ser parte da solução.
Como na política, contentar-se com a arte do possível, e aceitar o fato de que, por mais que se esforce, sempre estarão esperando mais do que se pode dar.
Não é tão ruim quanto parece.
Não é tão bom como se imagina.
É um trabalho, bem remunerado (na maioria das vezes) e extremamente demandante, que pode ser muito gratificante para quem tem o perfil adequado.

5 comentários:

Anne M. Moor disse...

Outro quisito importante é paciência e saber "lidar com gente".

disse...

Liderança: vocação, auto-confiança e desenvolvimento.
Nessas águas você nada de braçada.
Beijo.

Jorge Lemos disse...

Principe:
Concordo que deveria ser sempre assim. Um diretor, reconhecidamente, deveria estar, profissionalmente acima da média.
Infelizmente, em alguns casos, especialmente na administração pública vale o Q I (QUEM INDICOU?)
Em empresas privadas tenho encontrado também grandes nulidades. No serviço público então!
Veja estou a 22 dias com uma linha muda de um telefone, que me causa grande dissabor e na CIA TELEFONICA SÓ SE VÊ INCOMPETÊNCIA.

De alto a baixo só querem o meu din-din.

Abraços

Udi disse...

diretor com alma de samurai: "aquele que serve".
não sei se conheço algum outro.
é uma sorte e privilégio poder dizer que sou testemunha disso que você relata.
...mas, já disse antes e reforço: tê-lo como amigo é ainda mais gratificante!

Ti disse...

Flávio,

Interessante... Lendo seu post me dei conta que sempre existe a distância entre a imaginação e a realidade... Seja para o bem ou para o mal.

Será pela expectativa? Será pela falta de experiência? Ou porque sempre estaremos condicionados a viver em mundos diferentes: o real e o imaginário?

Beijos!!