Páginas

segunda-feira, fevereiro 28, 2011

Sem carências

Confesso
Sob as luzes da ribalta
Que nesse teatro da vida
Já nada me faz falta
Encerrasse aqui minha história
Sem nenhum outro deleite
Levaria na memória
A lembrança do aceite
Ao maior desafio divino
Aproveitar a dádiva da vida
O que fiz desde menino
De um jeito meio ladino
Amei, comi e dormi
Nessa ordem dos fatos
E muito me diverti
Para inveja dos novatos
Desse momento em diante
Já que a vida em mim insiste
Vou dedicar cada instante
A expandir o meu limite
Para quem quiser acompanhar
Fica aqui meu convite

15 comentários:

elenice disse...

Lindo mesmo! Adorei. Transmite claramente coisas que nao conseguimos expressar facilmente. Gostei e mais ainda porque nao sabia da "veia poética".

Anne M. Moor disse...

Flávio

I'm onboard. :-) STILL rsrsrs e viva o amor!

bjos
Anne

JORGE lEMOS disse...

Príncipe

Duro acompanhar seu ritmo
Em todos sentidos de vida
Sempre nos pomo por ultimo
Em ansia a ser seguida
Mas a sugestão do esforço
é coisa prá se pensar
Vou seguir o seu conselho
prá tentar te acompanhar.
Mas garanto que em meus anos
Fui um boca ladino
fiz coisas do arco da velha
desde que era menino

Abraços

Lemos

Maria da Luz Restaurante disse...

sempre se superando!
beijo feliz!

udi disse...

ter 2 e-mails está me deixando com problemas de identidade... (sou eu aí na mensagem acima!)

Batom e poesias disse...

Vambora!!!

bj
Rossana

Sentimental ♥ disse...

viver assim é bom, sensação de 'dever cumprido' sempre.

Paulinha Costa disse...

Belo convite!
Bjs Flavito!

Flavio Ferrari disse...

Elenice: poesia não é o meu forte .. but tks anyway.

Flavio Ferrari disse...

Anne e Rossana: let's go !

Flavio Ferrari disse...

Jorge:
para esse andor
tu eres professor

Flavio Ferrari disse...

Udi: vou me esforçando ... mas de vez em quando escorrego (vide vestiário)

Flavio Ferrari disse...

Juliana e Paulinha: é raro mas acontece.

Érica. disse...

continuo com as querências.

Mary disse...

"já que a vida insiste"....rs....muito boa!!!
Bjs