Páginas

quinta-feira, dezembro 01, 2005

Mirabolância

Escutei ontem, de uma pessoa muito querida: "a vida não precisa ser mirabolante !"
Será ?
Todos os comerciais de televisão, anuncios de revistas dizem o contrário, prometendo um mundo mirabilhoso.
No rádio, então, locutores não poderiam ser mais mirabólicos.
Jornais reportam sistematicamente as mirabices do mundo.
A Internet, então ... alguém já viu algo tão mirabástico ?
A vida, respeitável público, é mirabolante. Reflexo da Criação (com "C" maiúsculo, porque me refiro ao universo que nos cerca, e do qual fazemos parte).
Mas a palavra chave aqui é "precisar".
A vida precisa é ser vivida. E quando nos obrigamos a corresponder a esteriótipos, adequarmo-nos a "modelos de excelência" idealizados do que seria uma vida "perfeita", não estamos vivendo a "nossa" vida.
Não se deixar mirabolar é, talvez, um dos desafios mais difíceis do mundo moderno.
Ser simples é muito complicado.

5 comentários:

Amanda Arthur disse...

Flávio,
Penso que precisamos buscar o nosso nível de "mirabolância" ótimo, a dosagem mais indicada para cada caso. Como?! Ouvindo o ritmo das batidas do nosso coração: buscar que ele toque uma música que nos faça dançar pela vida!
Sempre um prazer visitar o seu café. Beijo grande, Amanda (saraubalzac.blogspot.com)

Gerson Seabra disse...

você termina dizendo que ser simples é complicado.
não concordo, pois como diz um velho "jingle", "liberdade é uma calça velha, azul e desbotada, que você usa do jeito que quiser...e só não usa quem não quer". (esse, aliás, sempre foi meu estilo de vida)
pois bem, isso não é complicado.
grande abraço
(gersonseabra@yahoo.com.br)

Anônimo disse...

Flavio,

Você não acha que a mirabolância é uma distorção do aprimoramento?
Explico:
É desejável que nos aprimoremos, que busquemos ser melhor do que antes. Então, visualizamos alguns caminhos.
O que ocorre é que a estrada mirabólica nos seduz e nos confunde.
Para terminar,deixo aqui as palavras de T.S.Eliot:
"...e o fim de vossa viagem será chegar ao lugar de onde partimos. E conhecê-lo então pela primeira vez".

Zanborea

Flavio Ferrari disse...

Querida Zamborea,

Acho que de um lado você está certa. Quase sempre, quando queremos fazer melhor, fazemos mais mirabólico. Mas, as vezes, também sofremos de forma mais mirabólica. É a dificil condição de perceber as diferenças entre a realidade e a fantasia.
E eu discordo de Eliot num ponto: a gente nunca retorna ao lugar de onde partimos. No minuto em que partimos, ele deixa de existir.
Adorei seu comentário
Bj,
Fla

Anônimo disse...

É difícil, e é mesmo, mas para nós, poucos afortunados que conseguimos enxergar e distinguir isso mais claramente...para muita gente não é...e não é mesmo.Mirabolante pra essa gente é conseguir ser simples, e não miserável.

Pensem nisso