Páginas

terça-feira, julho 29, 2008

Bebês, Etanol e Lei Seca


A produção de Etanol no Brasil não provoca o aumento do preço mundial do açucar.
Mais álcool para os carros, menos álcool para os motoristas: as estatísticas provam a eficiência da Lei Seca na cidade de São Paulo, que contabiliza alguns milhões de economia apenas no sistema público de saúde.
Enquanto isso, cai a fertilidade no pais do carnaval.
Tudo isso é notícia na imprensa dessa semana. Estatísticas que viram notícias.
Vamos começar pela mais óbvia. Como bem disse meu amigo Edu, se houvesse a mesma fiscalização sobre os motoristas antes da Lei Seca, o resultado teria sido semelhante e os bebedores comedidos poderíam seguir tomando seu choppinho em paz. Não foi a mudança da lei que produziu a redução de acidentes, foi a fiscalização.
O Brasil foi pioneiro na produção de etanol automotivo e tem muita gente querendo jogar areia na nossa fogueira. Entretanto, como biocombustíveis são politicamente corretos, o Banco Mundial saiu em nossa defesa, se apressando em afirmar que não estamos contribuindo para a alta generalizada nos preços dos alimentos (nesse caso, do açucar). É óbvio, entretanto, que se toda a cana-de-açucar utilizada para produção de etanol (50% do total do país) fosse alocada à produção de açucar, teríamos muito mais açucar e, pela lei da oferta e demanda, o preço do açucar baixaria.
Já a redução na taxa de natalidade certamente não é nenhuma novidade, nem aqui nem em nenhum outro lugar do mundo ocidental. Mas talvez por uma curiosa e inconsciente associação entre "bebês de menos" e "beber de menos", o assunto tenha ganhado novo interesse.
Estatísticas são assim. Padecem do excesso ou da falta de originalidade em suas interpretações.

(imagem: www.tvgasm.com)

15 comentários:

Érica disse...

sabia que por causa da Lei Seca, a frequência nos shoppings aumentou e estamos vendendo muito mais calcinhas que soutiens?

ãhn?

Flavio Ferrari disse...

Curioso ... alguém tem alguma teoria ?

Suzana disse...

hahahahahahahah,,,
éssa é muito boa Erica!

Anne M. Moor disse...

Vamos pensar...

A.Tapadinhas disse...

Julgava que o excesso de álcool causava problemas na virilidade masculina. Se calhar, problema mesmo é não beber...
Vou já beber um copo (choppinho:)!
Abraço.
António

Glaura disse...

Que tal:-álcool=+virilidade masculina=+calcinhas rotas!!!

Maria disse...

Acho que a Glaura ta com a razão!

Flavio Ferrari disse...

Por outro lado, o alcool, reconhecidamente, tem excepcional efeito embelezador para as mulheres quando consumido pelos homens.
Sem o alcool, talvez os rapazes necessitem de um pouco mais de estímulo.

Anne M. Moor disse...

Flávio: Achas mesmo????????????????? Não tem coisa pior do que um homem que bebeu demais!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Chato é apelido, embora pense que está agradando...

Suzana disse...

O alcool não afeta a virilidade?
Então:
Lei seca = mais sexo = aumento de venda de calcinhas.
Ou não!Como diz o Caetano.

Érica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Érica disse...

acho que por causa da Lei Seca, as moças estão tendo que investir mais em apetrechos para a "hora H", pq em caso de bebedeira, o cara nem lembra o nome da mulher, que dirá perceber se sua calcinha é bege ou não... rsrs

E, Flávio, o embelezador tem o mesmo efeito para as meninas...

Anne M. Moor disse...

Desculpem a velha, mas certamente eu gosto dos 'meus' homens BEMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM lúcidos!!!

Flavio Ferrari disse...

Érica: se não tivesseo mesmo efeito, eu não teria chance ...
Anne: não se trata de beber demais ... só o suficiente para ficar bem lúcido.

Walmir Lima disse...

Gozado!
Para mim o efeito sempre foi o contrário.
Prefiro ficar de cara limpa e aproveitar 100% do que está acontecendo.