Páginas

segunda-feira, novembro 17, 2008

Para começar a semana...

Recomendo o filme Vicky Cristina Barcelona, do Woody Allen.
Allen referenciou-se no cinema europeu e conseguiu contribuir com sua argúcia para explicitar algumas interessantes facetas das relações amorosas (tema predileto de ingleses e franceses).
Não conseguiu evitar o sarcasmo habitual, sempre dirigido aos pronunciamentos algo pedantes das tribos mais intelectualizadas, mas só o suficiente para deixar sua marca registrada.
O filme inspira pensamentos interessantes sobre a simplicidade e a franqueza, a complexidade e a incerteza, o momento e o futuro, todos aspectos presentes nos relacionamentos afetivos. Não é uma comédia, não é um drama. Tampouco diria que é um filme romântico. É um filme terrivelmente simples, que faz pensar e, com sorte, pode provocar algum insight útil.
Já fazia tempo que não via um filme tão bom no cinema.
Alias, assistimos na nova sala VIP do Shopping Cidade Jardim. Caríssima, mas com uma poltrona muito melhor do que o sofa da minha sala (reclinável e com apoio para os pés) e serviço de bar. O Shopping em sí também é bastante simpático.
Vale a pena visitar uma vez na vida.

7 comentários:

Érica Martinez disse...

Também assisti ontem! Só que no Bourbon, Espaço Unibanco, com poltronas bem mais estreitas que as usuais...
Amei o filme! E não sei se amo mais Javier - charmoséeeeeeeerrimo - ou Penélope - sexyséeerrima!

Flavio Ferrari disse...

Penélope, sexy?
Só se for para as meninas ...

Flavio Ferrari disse...

A única garota sexy desse filme é uma garçonete que aparece por 8 segundos servindo um pedaço de torta.
Mesmo assim, o filme é bom.

Ti disse...

O que mais me chamou a atenção no filme é que as pessoas que conseguem ser felizes, mesmo que por um período, são as que vivem o presente...

Viver em função de algo que ocorreu no passado ou, simplesmente, em função do futuro só traz uma falsa esperança e a certeza de eterna frustração...

Também adorei!!

Érica Martinez disse...

Flavio: Jura??? Putz, nao vi a garçonete, estava hipnotizada pelo Javier - de camisa vermelha! hahaha... (Ai, Martinez!)

Ti: a impressão que tenho com essa coisa de viver o presente é que sempre falta alguma coisa... O presente é tão fugaz... (Cristina!!) E embora o futuro seja absolutamente incerto, fazer planos para o futuro é bom porque como o futuro "nunca chega", vivemos sempre sonhando... Pirei?

Ti disse...

Érica,

Quando vivemos o presente, podemos até chegar a conclusão que já o vivemos bastante e que precisamos viver um novo presente!!

Quando se vive o futuro, se esqueçe de viver o presente e o passado sempre retorna com saudades...

Costumo brincar que tenho (sintomas de saudades), sinto saudades do presente projetado no futuro...

A Cristina é realmente um exemplo. Viveu ótimos momentos, aproveitou cada oportunidade e partiu para um novo presente quando este já não era suficiente...

Quanto a pirar, acho que me parece bem lúcida neste momento... Mas que está mais para peixes do que virgem, isto está!!

Beijos
Beijos

Érica Martinez disse...

Ti, o mar não está muito pra peixe, mas meu momento "ascendendte Sagitário" - apontando para o futuro - está bombando!!! rs...
Bjos