Páginas

terça-feira, julho 27, 2010

Certas incertezas

Heisemberg formulou o princípio da incerteza para a mecânica quântica, mas eu vou poupá-los desta explicação.
Fato é que, enquanto os cientistas aceitam a imprecisão da ciência, nós mortais temos que conviver com gente cheia de certezas.
Eu fico particularmente irritado com gente que acha que sabe, acima de qualquer suspeita de dúvida.
É uma irritação decorrente da impaciência, da frustração de ser incapaz de instigar a dûvida, que é, afinal de contas, a única certeza possível.
Os que me acompanham aqui no Arguta Café poderão pensar ... mas justo o Flávio, tão cheio de opiniões e afirmações contundentes, reclamando disso !
Pois é ... mas embora nem sempre pareça, minhas opiniões a respeito de qualquer coisa, mesmo aquelas que melhor conheço, são permeadas de uma incerteza quântica.  Reconheço-me como observador incapaz de isenção e aceito o fato de que o ato de observar interfere no fenômeno observado.
Traduzindo, intúo que o mundo, tal qual eu o vejo, só existe para mim e que, portanto, minhas conclusões só tem valor real para mim mesmo e são, certamente, imprecisas.
Porque partilhá-las, então ?
Por duas boas razões ...
A primeira e mais importante, é que eu gosto.
A segunda, modéstia às favas (como diria meu avô), é porque podem ser ûteis para alguém, em algum momento.
Se puder contribuir para gerar uma sensação de incerteza, já terá valido ...

16 comentários:

A.Tapadinhas disse...

É muito raro eu, num texto de opinião, concordar inteiramente com quem o subscreve.

Neste caso, eu assino por baixo, dizendo, como o outro: Só tem convicções aquele que não aprofundou nada.

Abraço,
António

Mary disse...

OiFlávio!
Tás na linha fenomenológica existencia é?Muito bom!
Bjs

Casa de Mariah disse...

"incerteza quântica" adorei isso. já tentei conversar com algumas pessoas sobre essa perspectiva de que a "minha" realidade só existe para mim, sendo que é a "minha" ótica...mas não adiantou, ficaram achando que eu estava bêbada.
Concluí que ando precisando de novas amizades.
Adorei seu post. Me identifiquei com a sua certeza de não ter certeza de nada!

Anne M. Moor disse...

A vida sem incertezas não existe. Elas permeiam nosso ser (whoever) e fazem com que continuemos caminhando em frente.

Já houve o momento (muito jovem e teimosa) na minha vida em que eu tinha "certezas", mas cresci :-)))) É das incertezas que surge o aprender nénão???

Beijão
Anne

Paulinha Costa disse...

Compartilhamos do mesmo...
A observação e as idéias que surgem dela não a fazem conclusiva.
Observar e refletir, mudar e aceitar que a vida é isso mesmo, é sinal de flexibilidade analítica.
Ter atenção e observar, analisar é isso que faz com que mudemos de idéias e conceitos, isso é saudável!
Ter uma opinião conduntende sobre alguma coisa não quer dizer que este conceito seja imutável, quer dizer que quem o expôs tem bons argumentos.
E sim, eu viajo pelos blogs em busca de novas formas de ver as coisas, então, você me ajuda! Bjs

Batom e poesias disse...

Só sei que nada sei! Disso eu tenho certeza.

Adorei o texto.
bjcas
Rossana

Carla P.S. disse...

O problema é que quando somo 100% sinceros com os outros, somos desvirginados em alma. Se sabem a fundo o que pensamos, saberão nossas condutas.
Tenho analisado que todos, inclusive eu, falamos por cima o que pensamos. Ou seja, certezas, nesse contexto, apenas seriam bengalas emocionais, para uma profunda e salutar incerteza.
Ideias fixas podem causar doenças...
Sou a favor do questionamento, e da delicadeza em transpô-lo, também.

Mari disse...

Perfeito Flavio.
Concordo contigo.
Observar e aprender, partilhar e duvidar...é aprendizado meu querido.
Adorei suas colocações e tou assinando embaixo!
Um beijo certeiro em você!

Luna Sanchez disse...

Uhun, e porque conversas convidam a reflexões, e assim outras pessoas poderão questionar suas supostas certezas e formular mais verdades relativas e pessoais.

"Passe a diante!"

Gostei!

Beijo, beijo.

ℓυηα

Ana SS disse...

Muito mais difícil formular uma pergunta do que respondê-la.

Denise disse...

Certezas nos paralizam

e verdades absolutas nunca existiram

Oxalá continue assim

menina fê disse...

concordo plenamente. não somos donos da verdade, nem nunca serei - graças... só assim tenho o estímulo da busca e do aprendizado!

=D

bjs pra ti.
menina fê*

Principe Encantado disse...

Como poderíamos desvendar os mistérios se não fossem as incertezas? Creio que a flexibilidade do ser humano nos dá a possibilidade de indexar em nossa personalidade um grande percentual de "incerteza quântica"
Abraços forte
Gostei de seu espaço.

Mary disse...

Obrigada pela tua agradável visita no meu blogue. E obrigada ainda pelas suas palavras gentis.
Bjs

Taís disse...

Me irritam profundamente também pessoas que pensam que detém a absoluta verdade. Como se esta não fosse variável ou até mutável.
Finalmente creio que essas pessoas nunca conseguem aprender nada.
E sim, o mundo como eu o vejo só existe para mim... isso penso desde criança. Claro, os conceitos de mundo foram se aperfeiçoando e expandindo, mas é assim.

Ti disse...

Belo texto!!

E posso dizer isso com toda a certeza possível...

Beijos