Páginas

terça-feira, dezembro 07, 2010

Desaprendendo (pensamento noturno)

Já fui o que se costuma chamar de "imaturo".
Ai fui aprendendo a ter paciência, a controlar as emoções, a analisar as situações sob diversos ângulos, a assumir responsabilidades e a cuidar do outro (entre outras coisas).
Amadureci.
Eis que descubro que, para não "apodrecer" depois de haver amadurecido, preciso desaprender boa parte das coisas que aprendi.
A vida pode ser tudo, menos monótona.

9 comentários:

Sentimental ♥ disse...

vivendo e aprendendo...

Única e Exclusiva disse...

é a roda da vida, rs.

bjs ;)

Anne M. Moor disse...

Como diria o nosso amigo António, o importante é o equilíbrio...

bjos
Anne

Carla P.S. disse...

Bonita filosofia, aproveite como um café. Beijão

Luna Sanchez disse...

Desaprender não sei se é o termo, Flavio, talvez uma amnésia temporária providencial já baste. ;)

Beijo, beijo.

ℓυηα

Tathiana disse...

Concordo: a monotonia mata.
Aprender, desaprender, rever conceitos... Nem sempre fácil (especialmente este último), mas necessário.
Beijos.

Paty Michele disse...

Ai, tbm não quero apodrecer, mas tenho me tornado tão chata...

Batom e poesias disse...

Achei esse texto:
"Procuro despir-me do que aprendi, procuro esquecer-me do modo de lembrar como me ensinaram e raspar a tinta com que me pintaram. Desembrulhar-me e ser eu, um animal humano"
(Alberto Caeiro)

bj
Rossana

Solange disse...

Flavio... que coisa mais linda... falo muito sobre desaprender... e não é que a gente precisa mesmo ?

beijo