Páginas

segunda-feira, agosto 08, 2011

Boas notícias

Fiquei um tempo (grande) sem ler ou assistir jornais.
Pode parecer um ato temerário para alguém que precisa, profissionalmente, manter-se bem informado.
Mas, de verdade, não é.  Ao contrário, experimentar novas perspectivas e atitudes é importante para quem quer entender o mundo um pouco melhor.
A primeira constatação importante é que você não precisa perseguir as notícias.  Se você frequenta alguma rede social (ou seja, se você não é um eremita) as notícias virão até você.
Claro que você perde a chance de identificar alguma nota importante de menor repercussão.  Mas, por outro lado, estará menos distraído pelo "information overload".
A segunda constatação interessante é que, quando você volta a acessar os noticiários, percebe com maior intensidade a carga negativa que eles transferem para os leitores, expectadores e ouvintes.
A maior parte das notícias (as vezes todas) são relativas a agressões, atos de desonestidade, acidentes com vítimas ou catástrofes.
Um marciano que julgasse a humanidade pelo que é noticiado teria uma péssima impressão.
Nós mesmos, inconscientemente, estamos alimentando essa péssima impressão.
Isso nos entristece, desmotiva, deprime, desalenta.  Não faz bem.
É voz corrente que notícia boa não dá audiência.  Não acreditem nisso.
Embora seja mais fácil atrair a atenção com tragédias, a situação é similar àquela que acontece com o uso de palavrões ou o escárnio no humor.  Para fazer rir de forma elegante é preciso inteligência, mas vale o esforço.  Jornalismo elegante também requer um certo esforço e, certamente, mais inteligência.
Não estou defendendo que Poliana passe a apresentar os telejornais.  Advogo o jornalismo proporcional.
Fica difícil de acreditar, justamente pelo efeito residual do que já andamos lendo, ouvindo e assistindo por aí, mas acontecem mais coisas boas do que ruins no mundo.
Mais beijos do que agressões, mais amor do que ódio, mais doações do que roubos, mais atos honestos do que desonestos.
E se a sua vida não é assim, está na hora de mudar de companhias ...

12 comentários:

Fernanda disse...

Concordo plenamente...Já faz um tempo que ando meio desligada das notícias do cotidiano justamente porque acredito que energia atrai energia.
As de grande repercussão - aquelas que fazem você ser incluído na conversa do almoço - acabam chegando até você. Fato. É até bom não saber muito porque daí em vez de você falar, você deixa a outra pessoa falar...E, assim, você mata dois coelhos com uma cajadada só: alimenta o ego do amigo que se gaba de discorrer sobre a notícia completa e, ainda, se atualiza!

Letícia disse...

É, você tem toda a razão.
Como frequento algumas redes sociais, as coisas sejam verdadeiras ou boatos sempre chegam até a mim.
E também trabalhando em uma biblioteca idem.
Não ando fazendo muita força de ler ou ver jornais não, prefiro um filme, uma série, um jogo e claro, um livro.
A vida anda focada muito em más notícias.
E que sua semana seja de boas notícias.
Beijo!

Ana Andreolli disse...

Acho que estamos necessitando disso, de mudar um pouco a direção do q estamos lendo, afeta um dia inteiro! fato!! mas fica beeeeem difícil fugir, pq na internet é o lugar que temos um acesso maior, tá ali, pra gente procurar, pesquisar.

Luna Sanchez disse...

Eu gosto de boas notícias, de elegância e de inteligência. E também de beijos e doações.

=*

Luna Sanchez disse...

Posso pedir? Quero aqui no teu blog aquela barrinha de botões de compartilhamento pra poder enviar para o Facebook e para o Twitter.

Coloca?

Um beijo.

Batom e poesias disse...

Isso é a sua cara!

Já imaginou a Poliana fazendo o "jogo do contente" junto com o Datena?

Você me deixa feliz!

bjcas
Rossana

Solange Maia disse...

A-D-O-R-E-I !!!!

você me fez sorrir...

beijão

Anne M. Moor disse...

Assino em baixo. Bravo!

bjs
Anne

Taís disse...

É verdade, tudo parece tão ruim visto pelos olhos dos jornais, que desanima, sim.
Dizem por aí que noticia boa não vende, eles deveriam experimentar... iriam se surpreender.
Por minha parte já cansei de ver só desgraça. Quero a mescla também.

Carla P.S. disse...

Eu, particularmente, não assisto noticiários, nem novelas, nem futebol. Sou muito ansiosa com minha vida, meu futuro, pra ficar presa ao futebol, com seu comércio negro.
Sou muito carente pra ficar vendo a vida - de mentirinha - dos outros na novela: prefiro vida social e msn. E quanto ao noticiário, prefiro o bom e velho jornal, ou as redes sociais, como você disse muito bem.
Vivo bem assim, e encontro felicidade. Ou o mais próximo que conseguimos dela.

Ana Paula disse...

Flaviiitooo!!!Quanta saudade senti de você! Do seu blog! Quase morro de saudades hahahaha E chego aqui e vejo essa expressão sensível porém mascula da vida!!! Que lindo!!! Assim tu acaba de conquistar essa 'fiel' leitora. kkkkk Coragem!!! kkkkkkk
Concordo de forma plena. A vida não é tão cruel, e nós seres pobres humanos somos eternas crianças neste gigante parque de diverções chamado mundo. E as vezes as crianças se machucam, aí vira notícia ruim!hahah é smp bom dar um tempo de tudo.

Ferrockxia disse...

eu ja assisti mto jornal
e minha mãe tem a péssima mania de deixar o radio ligado de manhã ou de noite naquela bandaB meu não tem noticia que preste é só roubo morte corrupção bah se ferrar quando a gente tinha aqui em em ksa SKY eu só assistia e! entertainment é só noticia de famoso menos desastre mas um mundo falso tbm mas pelo menos lá eles mostram uns podres engraçados dos artistas