Páginas

domingo, fevereiro 18, 2007

Pensamento da madrugada em Orlando

A diferença entre o sonho e a realidade eh que quando estamos sonhando nao lembramos da realidade. (Soneca)

O que deve fazer um sujeito que nao gosta de mudancas, mas nao consegue conviver com a mesmice ?
E se ele opta pela mudanca, tem dificuldades para conviver com a sensacao de perda do que tinha. E se nao opta, tem dificuldade para conviver com a sensacao de perda do que nao vai ter.
Certamente, um tipo assim deve procurar um psicologo, pois nao conseguem conviver com a realidade e as frustracoes inevitaveis decorrentes de suas escolhas.
Mas o que eh a realidade ?
Os parques tematicos de Orlando (FL-USA) pretendem representar a fantasia.
A realidade observada eh alguns milhares de pessoas em filas para investir seu dinheiro em alguma coisa quem alguem definiu que deveria ser divertida (pareco meu filho Rodrigo escrevendo).
Os brinquedos mais procurados sao os simuladores, que oferecem a experiencia de contato com a realidade virtual. Sim, eu disse (e eh como se diz) REALIDADE VIRTUAL.
O espagueti que jantei hoje no Disney Quest era realidade virtual. Parecia espagueti com molho de tomates e queijo ralado. Mas nao tinha gosto de nada (lembram do 2001 - Uma odisseia no espaco ?).
Claro, havia fila para comprar no simulador de espaguetes, como em todos os outros simuladores do edificio.
Jah o show do Cirque du Soleil era bastante real, embora fantasioso. Nao havia simulacao. Tudo era lindo e real, embalado por melodias encantadoras e vozes liricas.
O numero mais aplaudido foi o das criancas chinesas. Pequenas meninas (10 anos ?) fazendo malabarismo com carreteis e cordoes. Nao aplaudi. Nossos meninos de rua ja fazem a mesma coisa e nao estou certo de que sua realidade eh mais triste do que a das chinesinhas. A realidade: 4 meninas que devem treinar diariamente ateh a exaustao para alimentar o mundo magico que inspira nossa fantasia.
E porque precisamos da fantasia ? Qual eh o problema com a realidade ?
Vi pouca gente realmente feliz no parque. Aparentemente, a pessoa mais feliz era um senhor jah com seus 70 e poucos anos comendo pipoca na beira do lago, espantando o frio (10 graus) sob o sol. O resto estava preocupado em se divertir, trazendo um pouco de fantasia para sua realidade.
Meus caros, a gente precisa aprender a ser feliz com um saco de pipocas.

7 comentários:

Anne disse...

Na realidade, até SEM o saco de pipocas... Felicidade - o que é isso? É um sentimento que ora está presente e ora nos foge como areia pelo meio dos dedos... Uma coisa fica evidente depois de muitos anos de rodopiar, a felicidade depende apenas de mim... de mais ninguém. Se eu sou feliz comigo mesmo, o resto é lucro...

Flavio Ferrari disse...

TRUE ( X )

Ernesto Dias Jr. disse...

O único parque temático que funciona é a cama. Para qualquer coisa que se queira fazer.
Quanto a pipocas.... não sei.
Diz-me que pipoca comes e te direi quem és.

Flavio Ferrari disse...

É o que respondeu o índio para a atriz semi-despida:
- Índio não quer pipoca ...

Ti Bell disse...

"A unica certeza da vida é a mudança..."

A mudança ocorre a cada dia e as atititude são determinantes para a formação de um novo contexto... A boa notícia é que a nossa opinião poderá ser outra, já que a realidade não é mais a mesma...

As filas são cada vez mais rápidas (ou pelo menos temos a sensação de..) em função das diversas atrações existentes durante a espera. Assim também é a vida... Temos várias atrações pelo caminho que nos levará a um lugar que não sabemos muito bem como será!!!

Flavio Ferrari disse...

Fila rápida ? Só se for de motel !

Luisa disse...

La fantasía es lo que nos permite crear y recrear mundos paralelos en una vida por naturaleza lineal.

Con certeza viviriamos en las cavernas si no fuera por la capacidad meramente humana de imaginar o fantasear cosas que no existen.

Hoy vivimos como la cosa mas natural lo que se calificaba como las mayores pajas mentales que llevaron a varios al desprecio social y a la hogera.

Quien está abierto a la fantasía tiene posibilidad de aprender mas rápido sobre la vida ya que procesa las abstracciones simbólicas que la componen y se enriquecen así las propias experiencias

En fin personalmente a mi si me gustó mucho Disney Quest, ya que rompe el paradigma de los parques temáticos regulares, ya que en lugar de asistir a los juegos de manera pasiva, te permite interactuar, no sólo con el juego sino también con las personas. Quizás la diferencia es que yo fui con un par de amigos al parque, al final, por mas era virtual que vivamos, seguimos siendo analógicos.

Y bueno otra diferencia es que yo comí papas fritas....no spagetti, al pais que fueres.....