Páginas

quinta-feira, junho 21, 2007

Ecumenismo convergente


É sempre um prazer ler Ruben Alves. Recomendo sua entrevista de hoje para o UOL - A educação como descoberta.
Do começo dessa entrevista extraio uma declaração do moço: "Quando o papa fala em ecumenismo, ele se refere à adesão das outras igrejas à Igreja Católica; cada religião acha que detém a primazia indiscutível da verdade."
Trata-se de um caso particular de uma atitude generalizada. Homens de "mente aberta" defendem a pluralidade de opiniões, desde que convergentes para sua "verdade".
Outro comentário do Ruben na mesma matéria: "É fundamental saber ler e ouvir."
É espantoso que um sujeito consiga fazer duas afirmações tão densamente povoadas de conteúdo durante uma entrevista, antes mesmo de seu começo.
De minha parte, converto a admiração em motivação para, como ele, aprender com o passar dos anos.

8 comentários:

Anne M. Moor disse...

Rubem Alves é minha paixão! Ele é educador com E maiúsculo e poeta. Os textos dele são uma delícia de serem lidos. Recomendo http://www.rubemalves.com.br/
Beijos de bom dia!

Lú. disse...

Flávio:
Não li o artigo,mas esse é um tema que me apaixona e me incomoda: O etnocentrismo , suas variações e seus tentáculos.
Todo mundo quer puxar a brasa pra sua sardinha , seja na sua formaçao étnica , religiosa ou qualquer outra.
E o que mais me deixa estarrecida é que o discurso moderno é sempre "a favor da aceitação", quando na realidade a palavra que define a intenção é apenas "tolerância", o que é muito diferente.
O mundo, o ser humano ainda adora se dividir em tribos, tendência natural considerando-se indentificaçoes, afinidades etc, mas daí a achar-se sabedor da verdade, adotar uma posiçao de superioridade em relação aos demais é no mínimo falta de visão, o que demonstra lamentavelmente mentes "blindadas".
Quanto à religiosidade adoro essa frase " Há muitos caminhos para a verdade, mas no final todos se encontram. Não há religião superior à verdade."
Bjo
Lú.

Dilson disse...

Flavio, tentei responder via orkut mas nao foi possivel. Tudo bem comigo, apesar de estar parado no momento. E vc, tudo bem? como está a familia?
Grande abraço.

Anne M. Moor disse...

Flávio: lê o texto dele "Sobre moluscos e homens" ou pode ser ao contrário :-). Acho que vais gostar.
Lú: Todo mundo quer ter razão... Quebrar com isso me levou muitos anos!!!!!!!!!!!!!!! Se eu tenho toda a razão onde fica as outras visões, opinões, gostos, etc.???

Ernesto Dias Jr. disse...

Oia, nunca senti dificuldade de aprender com o passar dos anos. Não mesmo. Mas tenho é uma dificuldade terrível para desaprender. No fundo eu sou humilde, tolerante e o ouvinte ideal. Juro que sou. O problema é que não consigo desvencilhar-me da casca do orgulho, da intolerância, da surdez e da prepotência.
Virtudes não substituem necessariamente vícios. E o difícil é livrar-se dos vícios para só então descobrir, no fundo do baú, se algum embrião de virtude ficou por lá. Depois, é facil. é só cultivar.

Anne M. Moor disse...

Já reconhecendo os vícios (e és tu que estás dizendo :P), é 50% do caminho andado. Estamos sempre aprendendo a nos olhar no espelho...

Flavio Ferrari disse...

Desaprender é difícil pacas ...

Anne M. Moor disse...

Mas não é impossível... :-) É um exercício diário.