Páginas

quarta-feira, junho 27, 2007

Perspectiva histórica até 2020


Uma dica do Ariel da Argentina ...

Vejam o filme " The Media Revolution - parte 1" no YouTube e, se gostarem, aproveitem para ver a parte 2 também.

12 comentários:

Anne M. Moor disse...

Santo Deus!!!!!!!!!!!!! Duas coisas vou destacar:
1. Acesso a informação
Falando do espaço de uma sala de aula, o que está sendo previsto nesse filme é espantoso. E a pergunta é a mesma de hoje: Como fazemos com que as crianças e adolescentes consigam transformar essa informação em aprendizagem, que nada mais é do que construção de conhecimento, visto que informação não é conhecimento.
2. 2022 - Experiência é a nova realidade - Eu diria que agora em 2007 isso tbm é verdadeiro...

Ti disse...

Flávio,

Realmente muito bem bolado!!Fantástico!!

Por outro lado, acho que nos próximos anos a revolução biológica (medicina) será tão importante que minimizará os efeitos tecnológicos da informação...

A preocupação com a sobrevivência é maior e o convivio com o ser humano fundamental (qualidade de vida, meio ambiente, mundo social)...

Lembram das previsões sobre ir ao cinema com as chegadas dos videos e DVDs? Os cinemas continuam aí e lotados!!!

Quem sabe em 2500?

Bom retorno!!

Beijos

Anne M. Moor disse...

Se a educação e as famílias não conseguem hoje despertar o gosto e o desenvolvimento da leitura nas pessoas, como vai ser em 2022 quando a leitura será ainda mais importante que hoje?

Udi Tarora disse...

Desculpe a ignorância mas, o que seria o Prometeus além daquele semi-deus que roubou o fogo de Deus para dá-lo aos homens?
Ainda não consegui acomodar essas idéias aqui... devagar e sempre(podem rir, mas sou assim)

Rodrigo Ferrari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Ferrari disse...

Não ví ainda, depois comento com voce em casa!

Mas quanto ao post anterior:


que eu saiba, além da questão relativa da viagem no tempo que fazemos em aviões (que embora seja teoricamente interessante, na prática, é uma bela merda pra maior parte dos pragmáticos que somos) é possível o teleporte de spin de partícula elementar.

Eu queria teleportar o meu spin. Quem sabe não encontram uma partícula-complexa-pós-elementar RODRIGO em algum longínquo ponto de andrômeda e alteram o spin dela pra ver se alteram o meu spin. O que será que aconteceria comigo?

(sim, Ernesto, eu sei que é absurdo o que eu estou colocando, mas aqui no Arguta há espaço pra os maiores absurdos da pós-modernidade madrugatória, hence, a minha colocação).

Rodrigo Ferrari disse...

Outra coisa:

depois voce precisa me dizer o que acharam do meu texto que voce traduziu!
(é, traduziu, porque embora não tenha lido voce provavelmente o transcreveu de prosa-poética pra dissertação objetiva).

Anônimo disse...

Oi Tio Flávio...rs
Parabéns pelo teu blog e sempre farei uma visita aqui para um café...obrigada pelo incentivo q me deu para q eu tenha meu próprio blog...vc acha q eu estou comentando demais no Prozac??? é simples...estado de necessidade!!!
Quanto ao "tio" serve tb...mas a Estrelinha está bem crescidinha e nao vai combinar muito cháma-lo de tio senão vc vai me chamar de "tia"...
Um grande abraço!
Estrelinha

Ernesto Dias Jr. disse...

Rodrigo:
Absurdo nenhum, desde sua partícula RODRIGO lá nos cafundós do universo tenha sido gerada por um split da particular original, você.
Daí, cada vez que seu spin aqui mudasse, o spin da sua partícula-imagem também mudaria.
E o que é pior: instantaneamente, não respeitando o princípio da não-localidade da relatividade geral.
O que é o maior busilis da física moderna na unificação da quantica com a relatividade.
(dexa eu parar antes que o pessoal reclame, rsrsrsrs). Quem mandou provocar...

Ernesto Dias Jr. disse...

Agora, sobre o post:
Muita coisa tem grande probabilidade de acontecer, sim.
Mas há uma coisa que me preocupa nesse cenário: a personalização da informação, exatamente vendida como a grande vantagem do negócio.
Exijo acesso a informações não dirigidas a mim, ou em desacordo com meus "habitos".
Há uma riqueza insubstituível nessa dispersão.
Felizmente, quando robots escolherem conteúdos para pessoas, na estúpida presunção de que são capazes de fazê-lo (pessoas são dinânicas), já estarei morto.
Ou, como diria um físico: quero acesso à nuvem de possibilidades que me cerca, para poder colapsar minha própria realidade...

Lú. disse...

Que video maravilhoso!
Que descoberta fantática.
Que evolução emocionante, que possibilita tanto, que revoluciona
as bases , que dinamiza e move o mundo que é sempre obrigado a se adequar...
Lú.

Luisa Fernanda disse...

Que bueno que a todo mundo le gustó el video y lo hizo reflexionar, pues esto me costó una deuda de Ariel conmigo de 50 puntos por mal comportamiento...analógico, no digital