Páginas

domingo, julho 15, 2007

Inferno astral

Nunca dei muita bola para essa estória de inferno astral (aqule período que antecede o aniversário).
Mas a verve curiosa, aliada ao vício do método, me levam a acumular e catalogar as observações ao longo do tempo. E, nos últimos anos, sou obrigado a concordar que a vida resolveu me dar uns recadinhos nessa época, sempre na forma de "provações".
Neste ano começou com o acidente do meu filho mais velho no início da semana, que literalmente moeu o tornozelo e teve que ser resgatado e operado emergencialmente. Quem é pai (ou mãe) sabe como é difícil ver o filho sofrer. Quem não é, pode imaginar.
Mas não foi essa a "provação". Esse foi apenas o pano de fundo para os primeiros acontecimentos.
A tônica da semana foi ser levado a presenciar pessoas queridas sendo vitimizadas por algozes que, aproveitando-se das "limitações" físicas ou psicológicas de suas "vítimas" (tal qual percebidas por eles), tentaram tomar a oportunidade para preencher o vazio de sua insegurança atacando a quem julgavam incapaz de se defender.
Nenhum caso grave, felizmente, já que as vítimas souberam, sim, se defender e dar a adequada dimensão aos acontecimentos.
No caso da enfermeira sargentona com o meu filho no hospital pudemos até rir do assunto depois.
Até agora, apesar do desgaste, o saldo foi positivo.
Aprenderam os que me são caros, com a superação das dficuldades (o que os fez mais fortes).
Eu recebi o recado dessa conspiração cósmica, e fico mais atento aos meus próprios atos, para não reproduzir, ainda que de forma inconsciente, esse tipo de atitude.
Só não aprenderam os algozes, porque esses sempre acham que não tem nada mais para aprender.





6 comentários:

Anne M. Moor disse...

1.Desde que se receba um recado, qquer situação valeu a pena...
2. Ver os filhos sofrerem e se sentir impotente para ajudar a acabar com o sofrimento é um dos sentimentos mais mais... Mas faz parte do crescimento de todos nós... E ajudamos sim em diversas maneiras, descobrimos depois, as vezes muitos anos depois...
Um abraço forte no Rodrigo e outro em ti...

Anne M. Moor disse...

Inferno astral ou algo a que damos esse nome existe sim, talvez pra nos ajudar...

Jorge Lemos disse...

Falo mais por experiência própria:
..."entre o céu e a terra existem mais coisas que a nossa vã filosofia possa expressar".
Devemos parar sempre para refletir.

Pronta recuperação para o filho são os meus votos.
Um largo abraço no Rodrigo.

disse...

Bjo no Rodrigo,
bjo no pai dele.
E,claro, que já tá tudo bem...

Ernesto Dias Jr. disse...

Nada mau. Segundo a astrologia, depois do inferno astral vem um período de extraordinária prosperidade.
Se um funciona, porque não o outro?

É! disse...

passando aqui em pleno domingo para dar um "oi" e dizer que fico feliz de saber que tirou boas lições da adversidade... e quer saber? a enfermeira-megera continuará na sua vidinha mediocre, aproveitadora e mal-humorada e vc terá se tornado uma pessoa melhor! (ainda mais!!)
:D