Páginas

terça-feira, dezembro 04, 2007

Entra ano, sai ano ..

E as pessoas continuam as mesmas...
Esperando que você seja quem não é, transferindo seus problemas para você, cobrando o que você não deve, explicano porque você está errado, te dando lições de moral e bons costumes e estabelecedo as condições para o relacionamento.
E essas são as que gostam de você.
Ok ... dá para conviver com isso.
Mas é bom saber que existem algumas poucas exceções.

10 comentários:

Estrelinha disse...

Durante muitos anos travo uma batalha comigo mesma...não quero ser o que esperam de mim. Quero ser aquilo que nem eu esperava ser!"

Ernesto Dias Jr. disse...

É um problema que nem Saint-Exupéry previu. É muito comum a gente, ao achar-se responsável por quem cativa, terminar em cativeiro.

É! disse...

Flávio, tenho percebido que as críticas que recebemos das pessoas dizem respeito à elas mesmas... Ouço com atenção, filtro o que me interessa e jogo fora o resto...
Penso tb no seguinte: o que quer que estejamos fazendo, é o nosso melhor e sempre com boas intenções, ainda que estas sejam apenas em nosso benefício...
Penso naquela carta da Clarice Lispector e naquele poema, maravilhoso, do Fernado Pessoa...
Dizem tudo.
São raros os que te compreendem e te aceitam pelo que vc simplesmente 'É!'
Nem sempre perfeito, nem sempre correto, mas sempre humano...

Suzana disse...

O duro é quando olhamos nos olhos do outro e percebemos que o outro tá lá dentro,bem escondidinho!

bjs

Anne M. Moor disse...

How very true... E muitas vezes nos damos conta que somos NÓS que fazemos tudo isso!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Alexandre Crivellaro disse...

Mais ou menos como fazemos com nossos filhos.

Flavio Ferrari disse...

A Érica é a úica que É !
Criva, você esta coberto de razão.

é! disse...

Flávio, li esta frase hoje que remeteu-me à este post:

"Só cabe aos que me reprovam refletir um pouco e depois
pedir desculpas a si mesmos. Não preciso de uma palavra para a minha defesa."

Flavio Ferrari disse...

Teria sido o Renan ?

É! disse...

hahahahhahahahahahahahhahahaha
não... não gosto de literatura barata! É Nietzsche...