Páginas

quarta-feira, dezembro 19, 2007

Virtudes Cardeais

Falei dos pecados .. agora vamos às virtudes.
Os cristãos costumam apontar para 4 virtudes maiores chamadas de cardeais:
- Justiça
- Fortaleza
- Prudência
- Temperança
Curioso notar que elas não se contrapõe diretamente aos 7 pecados capitais.
Ou seja, dá para ser um pecador virtuoso ...

14 comentários:

Suzana disse...

De acordo com Aristóteles, as virtudes se aperfeiçoam com o hábito.

Suzana disse...

...e como o hábito não faz o monge eu pergunto se realmente existe um virtuoso.

É! disse...

ixi... e quem não se encaixou nem em um e nem em outro, vai pro purgatório...
- ADEUS, MUNDO CRUEL...

É! disse...

em tempo:

temperança

do Lat. temperantia

s. f.,
qualidade ou virtude de quem é moderado ou de quem tem o poder de moderar os apetites e as paixões;

parcimónia;

sobriedade.

Anne M. Moor disse...

E eu, ao que parece, sou mais pecadora que virtuosa!!!!!!!!!! Prudência e temperança fazem com que a gente não viva, se vamos atrás das definições no dicionário!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Glaura disse...

Tenho testado umas Temperanças diferentes nos molhos de macarrão e de algumas carnes e tem dado certo, agradando os que sofrem do pecado da Gula. Parece que é por aí que a vida vai...

Glaura disse...

Esqueci de comentar que alguns molhos são um pouco marcantes, com ingredientes picantes que devem ser acrescidos com Justiça na dose, devido a sua Fortaleza! E, no caso das massas, é importante que não fiquem muito tempo cozinhando, para não perderem sua PruDência...

disse...

Eu acho que a temperança é uma enorme qualidade, a ser desenvolvida. Quando a alcançamos temos controle sobre nós próprios.
E não acho que desenvolvê-la seja deixar de viver não. Pelo contrário, é saber conduzir a vida e ver a em si próprio a potencialidade , a enorme capacidade de poder e direção sobre
o "ser feliz".
É gostar e reconhecer o poder latente e a grandiosidade do ser humano.
As filosofias e religiões orientais
à medida que buscam o controle do homem sobre si próprio, estão focando exatamente o "equilibrar a têmpera" ou seja o "não" à submissão e à dependência do que possa nos desorientar.
Isso não significa "não" às paixões(hummm, tão boas paixões...), apenas um maior controle sobre elas, se prejudiciais ou veículos de sofrimento.
Adoto nesse sentido, uma visão humanista , na ótica filosófica do humanismo, ou seja, o ser humano tendo o poder de interferência no mundo e sobre si próprio.
Acho que aí também reside a beleza da vida.

Jorge Lemos disse...

"Delectat varieta", ou seja a variedade agrada. Entre as virtudes e os pecados o ser
humano se equlibra.
O que sobra?

A plena razão vigora no "justum et tenacem proposit virum"

Udi disse...

Fortaleza?!
vou cantar:
"quem saaaaabe
o super-homem venha nos restituir a glóóóória
mudando, como um deus, o curso da históóória..."

Udi disse...

...pensando bem, Fortaleza, Praia do Futuro, quebrando caranguejo com martelinho ...não seria má idéia!

Ti disse...

Se por um lado, acredito que as virtudes estão sim relacionadas aos pecados. Não se pode ser justo se tiver avareza, ira ou inveja... Não se pode ser forte, se a preguiça estiver presente... E a prudência é impossível, perante a Gula e a Luxúria...

Por outro lado penso que a Temperança seja a grande saída para o pecador virtuoso, já que trata-se de conseguir o equilibrio entre o bem e o mal, já que um não existe sem o outro!

Raffaella disse...

e se você não tem nenhuma dessas virtudes?

Flavio Ferrari disse...

Seria um grande pecado, Raffa ...
Não por acaso, a Temperança foi a virtude prevalente nos comentarios...
É, provavelmente, a mais importante das virtudes: saber dosar as coisas da vida.