Páginas

terça-feira, outubro 14, 2008

Passou no Frenológico ?


O alemão Franz Joseph Gall é considerado o pai da Frenologia, um campo de estudo que pretendia ser capaz de determinar faculdades, o carácter, características da personalidade, e traços de criminalidade através do formato da cabeça (como consequência do formato do cérebro).
Muito em moda no século XIX, essa "ciência" foi completamente abandonada na segunda metade do século XX.
Mas fiquem atentos. Ela esta ganhando novos adeptos.
E não vou ficar espantado se, daqui há alguns anos, as empresas passarem a adotar exames frenológicos para avaliar os cadidatos aos empregos.
Quem estiver interessando, sugiro visitar o seguinte endereço http://www.futuropasado.com/?p=822 de onde tirei a foto desta postagem.
Lá vocês encontrarão um vídeo divertido demonstrando o funcionamento do ´"psicógrafo", um aparelho patenteado em 1905 por Henry Lavery especialmente desenvolvido para realizar análises frenológicas.

8 comentários:

Érica Martinez disse...

ai, eu quero!! adoro testes!

André disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Giannini disse...

Olá, Flávio.
Este post lembrou-me de Cesare Lombroso, médico e cientista italiano que, influenciado pela Frenologia, acreditava no 'criminoso nato'. Aquele cuja fisionomia indicaria potencial para a delinquência. Em outras palavras o sujeito que tem 'cara de bandido'. Até hoje vemos seguidores do método lombrosiano. Vai entender...

edit: Iniciando hoje meus posts por aqui.
Abs!

Flavio Ferrari disse...

Olá, André... grande prazer em recebê-lo para o café.
Espero que volte mais vezes. Vai gostar do pessoal ...
Eu também lembrei do caso, mas não conseguia me lembrar do nome do Lombroso (assombroso, não ?).
Érica: assim que tiver um tempo, vou postar lá no Prozac uma máquina de testes especialmente para você ...

Ernesto Dias Jr. disse...

Também lembrei-me imediatamente de Lombroso que, na verdade, é mais conhecido que Gall.
A coisa está feia hoje para o pessoal de RH. Eles tem que rebolar para encontrar pessoal qualificado - cada vez mais raro.
Contudo não é tão absurda assim a tua idéia. Afinal ainda há casos de profissionais que contratam segundo o método Oswaldo Sargentelli...

Udi disse...

Afe! Que medo!! Essa mania de usar as características físicas prá classificar as gentes como "adequadas" ou não, me assombra mais que qualquer crise do mercado imobiliário.

Anne M. Moor disse...

Udi, Me too!!!!!!!!!!!!!!

Ti disse...

Ernesto,

Você tem razão sim sobre a dificuldade de encontrarmos pessoas... Não que sejam menos competentes do que antes, mas sabem menos o que de verdade querem!!

Acredito que competência todos tem, porém temos que utilizá-la no local e momentos corretos. Como os jovens estão cada vez mais indecisos, é papel do RH descobrir junto com eles o que têm de melhor...

Neste caso, o teste físico é inútil e, quer saber, muitos psicológicos também!!!

Beijos