Páginas

sexta-feira, abril 09, 2010

Quem ou o quê somos


Meu pai, 71 anos, caiu e bateu a cabeça. Formou um hematoma enorme que precisou ser extraído cirurgicamente através de um orifício de 7cm x 7cm aberto na caixa craniana.
Está na UTI, semi-lúcido, com um contato randômico com a realidade.
Não parece meu pai, digo, aquela pessoa que conheço como meu pai.
Me faz pensar como somos frágeis.
Não estou falando do incidente em sí, ou de nossa fragilidade física.
O que me toca é a facilidade com que deixamos de "ser" o que estamos acostumados a reconhecer.
Um baque para algumas certezas ..

13 comentários:

Cris disse...

Ei Flavio, o que estamos acostumados a "ser" é a nossa visão costumeira sobre aquela pessoa. Suas reações, o som da voz, a maneira de olhar, andar, sorrir...como se fossemos uma tela capaz de interagir com o admirador.
Na verdade é apenas uma estampa, porque seu pai, ainda que temporariamente tolido dessa "estampa" , dessa "tela" que as pessoas desenharam através do que ele expressa, ainda está ali, intacto. O seu pai, querido, está inetiro na UTI. Afinal, somos bem mais que isso.
Que as mãos carinhosas do nosso Criador estejam cuidando e zelando a cada minuto pelo seu pai.
Um beijo.

e daí? disse...

Força! bjs

Suzana disse...

Tambem estou com meu pai doente, 80 anos com um aneurisma na aorta abdominal.Fará uma cirurgia complicadíssima, de risco, em função da idade.
Esperamos que tudo dê certo, né F.F.
Gosto muito de seu pai também, sempre o admirei, você sabe.bjs

Ana Lúcia Porto disse...

Sinto muito pelo ocorrido com o seu pai. Desejo que ele se recupere bem e você, também, desse seu susto...

Isadora disse...

Flávio espero que seu pai se recupe logo e retorne para o convívio de todos.
Um grande beijo

Mari disse...

Oi meu querido,
Espero que seu pai fique bem!
É moço, às vezes a gente é levado a estas reflexões...ao questionamento de tudo. São momentos onde nos sentimos talvez mais fragilizados, batemos de frente com a realidade por livre e forçosa imposição da vida.
Geralmente nos melhoramos um pouco nestas situações.
Dê notícias do seu pai pra mim tá bom?


E...para compensar a minha ausência estes últimos dias e retribuir seu carinho, deixo logo uns 100 beijos!

Fica bem!

Pelos caminhos da vida. disse...

Estimo melhoras a seu pai Flavio, já está adicionado no meu msn.

Ótimo domingo pra vc e aos seus.

beijooo.

Luna Sanchez disse...

Um baque para algumas certezas e para as referências, imagino.

Melhoras ao teu pai.

ℓυηα

Paulinha Costa disse...

Oi Flavio, desejo ao seu pai o melhor para ele. Concordo com a Cris. Nosso existir aqui nesta vida nos habilita com vários corpos, um deles, é este frágil, a carne, o que todo mundo vê. A alma do seu pai está ali intacta, pode ter certeza.
Um bj querido

Jorge Lemos disse...

Prícipe

Vivi o mesmo drama com a perda de meu irão, o brilhante jornalista J.B.Lemos, na principio do ano pasado, lé em Brasilia. Perda lamentavel.
Solidário a vc expresso igual sentimento de respeito ao Ferrari pai pela maior contribuição dada na formação de tão grande filho, meu amigo.
Jorge Lemos

Erica disse...

ai.
um beijo com carinho para os dois!

Ernesto Dias Jr. disse...

O Ferrari, como sempre, dará a volta por cima. É um homem que precisa que se lhe abram a cabeça para ficar "en contato intermitente com a realidade". E nosotros tantos que não precisamos levar tombos para exibir o mesmíssimo sintoma?

doppiafila disse...

Melhoras para ele e um abraco para ti. Paolo