Páginas

quarta-feira, janeiro 11, 2012

Ciência e religião

Acabo de assistir um filme que merece ser assistido: "Agora" (ou Alexandria, no título em português), com a excelente atriz Rachel Weisz.
Conta a história de Hypatia, uma filósofa grega que vivia e ensinava em Alexandria, no início da era cristã (370 DC).
Mesmo sendo uma versão romanceada da história (e existe outra forma de registro histórico?), oferece uma interessante oportunidade de imaginar como aconteceu a transformação religiosa do mundo ocidental, partindo da Grécia politeísta, uma sociedade democrática e berço da filosofia para as sombras da idade média, e o papel que as religiões tiveram nesse processo.
Não vou comentar o filme.
Recentemente venho observando um acirramento do debate entre "cristãos" e "ateus" nas redes sociais.
Coloquei ambas as palavras entre aspas simplesmente porque a maioria dos debates (melhor seria dizer brigas) apaixonados que pude acompanhar certamente não contaram com a participação de verdadeiros cristãos ou ateus, mas essa é uma discussão longa e que não cabe nesta postagem.
Apenas recomendo que aqueles que estiverem interessados sobre o assunto a ponto de se envolver numa discussão aberta e pública assistam o filme.
A perspectiva oferecida é interessante e faz pensar a respeito do mundo, da vida e das causas pelas quais lutamos.

2 comentários:

A. Marcos disse...

O filme é ótimo mesmo. Sobrtudo porque elucida as raízes da intolerância religiosa e do fundamentalismo cristão.

Violência, opresssão, traição, e política sempre estiveram na raiz de todas as religiões e o cristianismo não é uma exceção.

Sentimental ♥ disse...

parece interessante...