Páginas

sexta-feira, novembro 16, 2007

Fazer o quê ?

Repentinamente, sem qualquer explicação, você se encontra trancado com um grupo de amigos por uma hora numa quadra de volley e recebe uma bola de presente.
Alguns amigos decidem aproveitar a oportunidade para jogar.
Outros, sentam na arquibancada para assistir.
E uns poucos se reunem num canto para discutir qual é o sentido de tudo aquilo.
Quem é que está certo ?

17 comentários:

Raffaella disse...

Tem errado?

Jorge Lemos disse...

Todos!

Ti disse...

Aqueles que estejam fazendo o que têm vontande de fazer!!

É! disse...

posso ficar no grupo dos que discutem os porquês da vida?
preciso! (por enquanto...)

Anne M. Moor disse...

Os que jogam... Os outros não estão errados, mas eu estaria no grupo jogando... :-)

doppiafila disse...

Os que jogam, os que assistem e os que discutem... Mas que simpatia istintiva pelos que jogam!!!

Udi disse...

Era prá fazer pensar? Estou aqui filosofando...

A.Tapadinhas disse...

Só respondo a essa pergunta na presença do meu advogado!

disse...

Todos(né Jorge).

Anne M. Moor disse...

Oba, a Lú tá de volta!!!!!!!!!

Ernesto Dias Jr. disse...

Agora olha aqui:
E se tiver um idiota que fica na arquibancada junto com a assistência, torcendo e tal, e por cima rachuchando em cima da física por trás da elasticidade da bola, de sistemas isobáricos, da geometria da parábola, da conservação da energia, e achando tudo um grande barato? Interna?

Ernesto Dias Jr. disse...

A propósito: isso me cheira a pregador de culto Harvardiano...

Walmir Lima disse...

Quem deu a bola e fez tudo isso acontecer - criou o caso, acaso e o ocaso.

Jorge Lemos disse...

Uái, a feiticeira está de volta!
Bom né!

Flavio Ferrari disse...

Não chega a ser um Koan mas é uma imagem simples e interessante, não acham ?
Conduz o pensamento através de questões como "certo-errado", "sentido da vida", "inexorabilidade", "intenções e atitudes" e outras mais.
E tal qual um Koan, não tem uma única resposta, e talvez não tenha resposta.
Me pareceu curioso que ninguém tenha proposto alternativas "fora da caixa" como, por exemplo, sair da quadra.

Udi disse...

um koan! sinto-me privilegiada! nunca havia recebido um koan.

disse...

Viva o Ludo! E o Jorge.