Páginas

sexta-feira, novembro 02, 2007

O corolário do Padre Eulálio

Padre Eulálio, no seu leito de morte, conversa com uma de suas fiéis mais aguerridas ...

- Tenho medo, minha filha ... medo do juízo final ...
- Mas porque, Padre ... foste tão bom para tanta gente ... fizeste tanto pelos outros ...
- Filha ... não tenho medo que, ao chegar no céu, me perguntem porque não fui tão bom como Madre Tereza, porque não sou Madre Tereza ...
- Mas ajudaste a muitos ...
- Também não temo que me acusem de não ter sido tão importante para a humanidade como Jesus Cristo, porque não sou Jesus Cristo ...
- Mas foste muito importante para nossa paróquia ...
- O que temo, minha filha, é que me perguntem porque não fui eu mesmo, Eulálio ...
A fiel acompanhante não entendeu o alcance da afirmação do Padre, mas percebendo a profunda tristeza em seus olhos, tomou-lhe a mão entre as suas e começou a rezar ...

8 comentários:

Anne M. Moor disse...

Flávio que magnífico! E pq será que as vezes não somos nós mesmos????????

Jorge Lemos disse...

Flavio:
O Juiz maior é a consciência. E o pecado é a perda da identidade.
Belo texto.

É! disse...

Porque teve um outro que impôs um monte de outras regras antes disso.




...Outro! :-)

Ti disse...

Talvez a dificuldade de sermos nós mesmos esteja no fato de que nossa Alma é imoral, é transgressora...

Flavio Ferrari disse...

Imoral e transgressora ... imoral porque transgressora ... transgressora porque imoral ?

Udi disse...

e não seria, também, o corolário de todos nós?

Ti: a nossa alma não é imoral... é?

Ernesto Dias Jr. disse...

Genial.

Udi disse...

Ernesto: tá marcando outra happy hour?