Páginas

domingo, junho 26, 2011

Lições do Príncipe de Exupéry

Mesmo sem nenhuma intenção de ser "miss", resolvi reler "O Pequeno Príncipe" (Antoine de Saint-Exupéry).
É mesmo um livro bacana, precursor dos manuais de auto-ajuda romanceados e pioneiro na preocupação com o meio-ambiente.
Algumas idéias surpreendem pela beleza da simplicidade, como a história das árvores que precisavam ser exterminadas (os baobás) para evitar a ruína do planeta do Príncipe, ou a do Rei que, para garantir a obediência, cuidava-se para dar ordens que fizessem sentido e ainda a do Acendedor de lampiões, sujeito a um regulamento imutável num mundo que já havia mudado.  Naturalistas e Gestores de empresa poderiam aprender alguns fundamentos importantes com essas parábolas.
As rápidas passagens do Vaidoso, do Bêbado, do Empresário e do Geógrafo são frutos, provavelmente , da impaciencia do autor com a obveidade da estupidez.
Mas é na famosa passagem da raposa que a história dá uma escorregada.  Numa sacada brilhante, a raposa explica ao Príncipe que o que torna sua flor importante é o tempo que dedicou a ela.  Mas, na sequencia, lhe dá seu atestado de morte: "tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas".
Essa frase é uma das mais famosas do livro, talvez pela imagem lírica ou pela idéia sedutora.
Entretanto, reflete o que talvez seja o maior problema dos relacionamentos afetivos: a expectativa do "cativado" de que aquele que o cativa assuma a responsabilidade por sua felicidade.
Ainda que a passagem seguinte, da água do poço, seja lindíssima e o final do livro emocionante, fica difícil aceitar essa mensagem tão equivocada, transformada em verdade poética pelo contexto.
O Príncipe de Exupery nos cativou, mas não pode ser responsabilizado por nossa interpretação.
Que conste, a seu favor, haver colocado essas palavras na boca de uma raposa ...

20 comentários:

Ferrockxia disse...

oie sou a dona do exoticlic se puder confere meu video aí ficarei agradecida

e daí? disse...

essa ideia "tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" é total pequeno principe, pra crescer e desapegar dessa ideia, seria preciso um Principe Adulto??

Batom e poesias disse...

Nunca analisei sob essa ótica, Flavito, mas sabes que tens razão?

"Eternamente responsável" é muita responsabilidade, por muito tempo...

Bjs
Rossana

Solange Maia disse...

interessante... nunca tinha feito essa reflexão ! tudo que é eterno é "muito grande"... too much !

deixo uma dica de leitura : "O Pequeno Prícipe me disse" de Sheila Dryzun... um monte de gente bacana dando sua versão sobre o livro (Mario Prata, Rita Lee, José Mindlin, Rubem Alves, Pelé, monica Falcão, Guto Lacaz, etc). Além de graficamente lindo, uma delícia de ler... e de saber como essa idéia surgiu !

beijo Flávio !!!

Luna Sanchez disse...

Bom, eu já nem sei mais quantas vezes disse exatamente isso lá no blog, que essa ideia de responsabilidade pelo que os outros sentem é um perigo e um equívoco. Tenho bronca desse livro exatamente por isso.

Há coisas lindas nele, claro, como : "Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz." Gosto quando aborda dedicação e comprometimento o que é muito mais leve e real.

Um beijo.

Flavio Ferrari disse...

Ferockxia: já tinha visto e comentado ...

Flavio Ferrari disse...

Andrea: melhor sapos que viram principes do que principes que viram sapos ...

Flavio Ferrari disse...

Rossana: nem por um minuto ...

Flavio Ferrari disse...

Solange: cada momento é eterno em si mesmo ... (pode não fazer muito sentido, mas é impactante)

Flavio Ferrari disse...

Luna: você é, decididamente, uma garota inteligente ...

Letícia disse...

Não, eu nunca quis ser miss e sempre li O Pequeno Príncipe e depois Cartas a uma desconhecida.
Sim, concordo com você, mas que seja essa obra ou outra, a gente sabe que a nossa leitura muda ao passar do tempo.
Beijo!

Taís disse...

Na verdade esse livro tem várias leituras possíveis. Eu o adoro e em cada época da vida que li, descobri algo novo, que não tinha visto antes.
Agora a parte do "tu te tornas eternamente..." sempre me pareceu muito romantica, mas pouco prática. Lembro-me até que numa determinada vez pensei: ahh só podia ser uma raposa msm... não à toa Saint-Exupéry deve ter usado essa figura. rsrs

Anne M. Moor disse...

O único eternamente responsável por nós é nós mesmos! E ISSO é uma aprendizagem de uma vida nénão?

beijos gelados de uma manhã gélida!!! :-)

Anne

A. Marcos disse...

Existencialista a frase, não?

Ela me fez lembrar de algo dito por Nietzsche (esse não será o texto, mas o contexto): as consequências de seus atos vão seguí-lo mesmo após curar-se do erro.

Flavio Ferrari disse...

Leticia e Marcos: essa é uma das belezas dos "escritos" ... o sentido muda com a gente.

Flavio Ferrari disse...

Tais: cuidado com as raposas ...

Flavio Ferrari disse...

Anne: cadê o verão que não chega ...

Luna Sanchez disse...

Obrigada, moço.

Não vai ter postagem reclamando do frio esse ano, falando no macarrão gelado, no molho do macarrão gelado e tal?

Rs

Um beijo.

Sentimental ♥ disse...

dá até um pouco de medo pensar no resultado...

Unknown disse...

網頁設計 網路行銷 關鍵字廣告 關鍵字行銷 餐飲設備 製冰機 洗碗機 咖啡機 冷凍冷藏冰箱 蒸烤箱 關島婚禮 巴里島機票 彈簧床 床墊 獨立筒床墊 乳膠床墊 床墊工廠 產後護理之家 月子中心 坐月子中心 坐月子 月子餐 銀行貸款 信用貸款 個人信貸 房屋貸款 房屋轉增貸 房貸二胎 房屋二胎 銀行二胎 土地貸款 農地貸款 情趣用品 情趣用品 腳臭 長灘島 長灘島旅遊 ssd固態硬碟 外接式硬碟 記憶體 SD記憶卡 隨身碟 SD記憶卡 婚禮顧問 婚禮顧問 水晶 花蓮民宿 血糖機 血壓計 洗鼻器 熱敷墊 體脂計 化痰機 氧氣製造機 氣墊床 電動病床 ソリッドステートドライブ USB フラッシュドライブ SD シリーズ