Páginas

sexta-feira, maio 11, 2007

Limiares luminares

Temos nossos limites.
A percepção desses limites e a forma de lidar com eles difere bastante de pessoa para pessoa.
A maioria das pessoas que conheci prefere navegar a uma segura distância dos seus limites, dentro de uma estreita zona de conforto.
Embora respeite a decisão, acho uma pena.
Primeiro, não há como conhecer nossos limites se não os visitamos. A distância confortável é, via de regra, uma posição de onde não conseguimos enxergar nossos limites.
Em segundo lugar, os limites pessoais não são fixos, e podem se extender quando desafiados, ou atrofiar se nunca os visitamos.
Navegar no limiar das nossas possibilidades, desafiando nossos limites não é uma tarefa que eu recomende para todo mundo, todo o tempo.
Mas é um exercício luminar.
Permite conhecer-se melhor e descortinar novos horizontes.
E oferece uma inigualável sensação de vida.
Eu acho que vale a pena tentar, pelo menos de vez em quando.

11 comentários:

Anne M. Moor disse...

Será que a gente chega a ficar frente a frente com os limites? Para quem não acha confortável não enxergar os limites, o desafio é o de viver. Eu já visitei meus limites, mas a cada vez que isso acontece sinto que os limites mudam de posição... Quanto mais a gente desafia os limites maiores eles são... Pode não ser um meio de vida constante Flávio, mas através dessas visitas que a gente se constrói e se conhece...
Interessante essa reflexão... Adorei...

Ernesto Dias Jr. disse...

Toda vez que visito meus limites o radar me pega. Uma merda.

doppiafila disse...

Vamos nessa, entao... ;-)

Walmir Lima disse...

Bela reflexão, Flávio.
Prá ler várias vezes e se questionar, de verdade.

Lú. disse...

A impermanência das coisas, é de Lei,gostemos, queiramos ou não...Essa regra obriga-nos a testar e conhecer nossos limites em maior ou menor escala .
Sábio e feliz de quem tem percepção da beleza, da expansão da consciência que isso nos traz,e pode viver essa inevitabilidade de forma tranquila e prazeirosa.
Grande sacada Flávio(como sempre) e
expressa com a precisão habitual.
Bj.

Lú. disse...

E o titulo...bom não preciso repetir.

Luisa Fernanda disse...

Fantástico, pienso igual, el explorar los límites siempre ayuda a expanderlos...la porquería a veces es como dice Ernesto...hay ciertos límites nuestros que acaban donde comienzan los límites de otros

Lú. disse...

Luíza,
É...

ericabmartinez disse...

PERFEITO!

Flavio Ferrari disse...

Lú: o título foi caprichado, estimulado por um elogio que recebi.
Luisa: de fato, ha limites e limites. E como ha muitos, melhor respeitar os que invadem os limites dos outros.

Lú. disse...

Bom, a inspiração caminha de um jeito com esses títulos que já tô até (nos comentários), respondendo pra eles(Tarde em si).