Páginas

sábado, agosto 28, 2010

Critérios deletérios

Motivado pela postagem do Marcos lá no A Hora do Flush resolvi compartilhar meu critério para selecionar as peças teatrais.
É bastante simples: não pode ser monólogo e precisa ter mulher pelada.
A razão é que, embora nossos atores sejam, de um modo geral, muito bons, os textos costumam ser ruins.  Daí, os monólogos costumam se arrastar e as peças deixam a desejar.  Se tiver mulher pelada, pelo menos me distraio com a beleza da nudez feminina, que é uma das formas de arte que mais aprecio.
Abro exceções para monõlogos executados por uma atriz nua (assisti um muito bom outro dia) e para textos bons (o que tem sido raro).
Obviamente, a maioria das pessoas se incomoda com esse critério.
Primeiro imaginam que eu estou brincando, já que costumo passar uma imagem de homem relativamente "culto".  Depois, acabam por se indignar com o que consideram um descaso com a arte milenar do teatro.
Eu adoro teatro.  Já fiz um curso de teatro amador e participei de várias "performances", algumas delas com texto próprio. 
Longe de me considerar um ator de verdade, já tive o prazer de experimentar os aplausos e cumprimentos entusiasmados de pequenas platéias, algumas vezes de completos desconhecidos porque, apesar da mediocridade da minha atuação, da ausência de direçnao e da simplicidade da produção, estava amparado por um bom texto.
Um ator criativo pode até salvar um texto ruim.  Um bom diretor, ainda mais.
Mas a arte do teatro só se completa com um bom texto.
Sem ele, o teatro deixa de ser arte e passa a ser entretenimento barato.
A nudez feminina não precisa de texto, só de contexto.
E mesmo fora de contexto, vale por sí só.
Entendo quem não se encanta com a nudez.   Questão de gosto.  Há quem prefira pinturas e esculturas.
Eu prefiro mulheres nuas e insetos exóticos, nessa ordem.
Mas acho que quem se incomoda com a nudez tem toda a chance de ter algum problema psicológico.
E quem se incomoda com o fato de alguém gostar da nudez poderia encontrar coisa mais importante para se incomodar.
Embora costume respeitar a opinião alheia (ou o direito de cada um de ter uma opinião), considero que alguns "critérios" são deletérios.
E, é claro, escolhi esse adjetivo por uma única razão.  Dava um bom título para uma postagem.

10 comentários:

Fragmentos de Ser... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fragmentos de Ser... disse...

Então...
seu post me lembrou
uma peça de grande sucesso
por aqui,por ali e por todo país ; se não me engano.
Falava de Francisco de Assis. O diretor,ator, produtor,o cara era tudo e ainda dirigia em cena(desculpe,mas detesto essa mistura toda,mas isso não vem ao caso).
Como disse vc, um bom texto é importante,
mas francamente, ele ,o moço, transformou ,(na minha inutil opinião)
um texto maravilhoso e uma montagem interessante
em um ato comercial(até aqui tudo bem) regioso(ai prefiro ir a igreja).Mas fui conferir um espetaculo premiadisismo,na epoca ate o Premio Coca Cola ele havia recebido.
Mas o fato é que eu ja louca pra ir embora,antes do meio.O teatro é o do Sesc,ali na Graça Aranha,(eu acho)...mas o teatro lotado de caravana de fieis catolicos, que lanchavam dentro do teatro.Odeio!
Mas ... quando eu ja não aguentava mais, o personagem,ator,diretor,
o Franciso, vivia o momento X da historia, quando ele decide viver só para fé e de súbito o foco vem para o meio do palco, no canto ele arranca as roupas e na penumbra um foco fraquinho vai la...
exatamente no membro exposto, fimose bem feita!Que foco bom!
Lindo orgão(confesso).
Salvou minha noite!
Pq na plateia era o extase, ele nu,vem a boca de cena e convoca a plateria de velhinhas fervorosas a puxarem...
seus terços
e juntos
falam o pai nosso, completamente em transe.
Eu que maravilhada ria de gargalhar, foi um custo pra me controlar,pq era demais a cena:ele nu,lindo, elas agarradas a seus terços hipnotizadas.
Fecho com voce:pra que texto se um momento de nu, salva o espetaculo?
Adorei expor aqui algo que a tanto tempo guardo comigo.
E vc nem sabe?Ao final do espetaculo:aplausos ,gritos de bravo,todos de pe...quer dizer..
menos eu e minha companhia.Estavamos na segunda fileira ,em cadeira especiais,nessas que se
poe nas laterais quando o teatro esta cheio.Estavamos em destaque,sentados sem apladir.Lembro ate hoje do olhar que ele me lançou:direto e certo.
mas eu...so lembrava do momento X.
Flores e Cores pra ti e
otima fim de semana

Anne M. Moor disse...

Flávio

Um texto bom é sempre essencial. Qto a mulheres nuas... prefiro os homens nus. :-)

Beijos e bom fim de semana
Anne

B. 7 disse...

Arte,narrada e experimentada!
Bom fds, obrigada pela visita!:)

Paolo disse...

E se a mulher for feia? O criterio ainda vale? ;-)

gabyshiffer disse...

Está certo um bom texto é tudo...

Te desejo uma boa noite
:)
"Sua visão se tornará clara somente quando você olhar para dentro do seu coração. Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, acorda."
(Carl Gustav Jung)

cristinasiqueira disse...

Adorei porque gosto da nudez(crua,sofisticada ,bela),bons textos são fundamentais.E monólogos cansativos.

Seu poema será publicado depois do dia sete.Obrigada.

Cris

Mary disse...

Tá bom...quando eu fizer uma peça vou pensar em tudo isso que escrevestes.
Bjs

A. Marcos disse...

FF,
Vc tem razão! Nudez feminina, sobretudo das belas, salva qualquer espetáculo...rs
E fale para a Mary nos avisar qdo for a vez dela...rsrs

Érica Martinez disse...

ai, depende, como o homem nu que eu vi foi o Zé Celso Martinez, não gostei. De qquer forma, indico "A casa dos Budas Ditosos" com a Fernanda Torres. E "Os homens são de Marte e é pra lá que eu vou" - dois monólogos auto-sustentáveis. rs