Páginas

domingo, agosto 22, 2010

Metafísica da inexistência

O passado já não existe.
O futuro ainda não existe.
O presente é efêmero e deixa de existir num átimo.
No limite, nada existe ....

(e eu ainda não bebi nada ...)

13 comentários:

Anônimo disse...

nada existe e tanta coisa acontece... no mínimo a vida é interessante por esse não existir...

beijo

Solange Maia

Vanessa Souza Moraes disse...

Nada existe, não existimos, rs.

Eu Meus Reflexos e Afins disse...

EI!
Na verdade
´universo'
de cada um nada mais é que surreal:realidade em overdose.
Como dizem os portugueses
Boa:"No limite,nada exite..."
Uma que que tenha voce dito.
Bjins entre sonhos e delírios

Mariana Dore disse...

Tem até a ver com o que acabei de postar lá no blog... depois de tanto tempo.. uahuahuha
=*

Lila disse...

Td existe dentro de nós...passado, presente e futuro !
...e eu, bebi todas....rs

Bjs meus.

e daí? disse...

e assim sendo, tudo se é permitido...

René D. Oliveira disse...

Digo, não desisto
Penso, logo insisto
Ótimo, existo!

Minha ‘Filosofia do Insistencialismo’ é o que me mantém vivo. Insisto em pensar; logo, insisto em viver. Mas até quando? E quando eu morrer, o que acontecerá a todos vocês? Continuarão a existir? Pelo menos pra mim, não. E o mais interessante é que pra todos vocês deve ser a mesma coisa. Será que esse ‘eucentrismo’, para não dizer ‘egocentrismo’, é o que se chama de solipsismo? Lembrou-me de um pequeno poeminha que fiz e postei num blog ligado à TV Cultura (Blog da Tereza, já extinto), e que dizia, bem no finalzinho, mais ou menos assim:

(...)
Eu vou ter que lhe dizer também
Que é muito egoísmo
Pensar em si e em mais ninguém
Parece até solipsismo

E neste pensamento profundo
Eu irei muito, muito além;
‘Eu e os outros’ somos o mundo
E não só eu e mais ninguém...

(Pelo que me recordo, o título da postagem do blog era ‘Eu e os outros’; versava sobre pensamentos e atitudes voltados somente a si próprio, algo assim.)

(Ah! E eu também ainda não tinha bebido nada. Se bem que meu estado de embriaguez é perene. Espero que consideres, e não excluas, este meu comentário, no todo ou em parte. Mas se preferires... Descartes de uma vez por todas!)

René D. Oliveira

cristinasiqueira disse...

Imagine!Então fume!(influencia do filme que acabei de assistir-Bobinho e bom,bem domingo a tarde-Simplesmente complicado)

Gosto deste estado não estou.
Obrigada pelo comentário no blog euamotrancoso.
Seguinte ,gosto do seu jeito de dizer tudo em poucas e boas palavras.Seu poder de síntese e humor cativam eu leitora.Sensibilidade e argúcia,bravo!
Pensando assim ,gostaria que vc
fizesse uma visita ao blog
www.prisma-cristinasiqueira.blogspot.com
e,seguindo a proposta escrevesse sua opinião.Irei publicar no jornal e depois no blog.Se vc topar ,escreva com profissão e envie uma foto sua
m.cristina.siqueira@gmail.com

Bom fim de domingo!

Cris

Carla P.S. disse...

O nada não existe.

Tarãm...

Taís disse...

Ou tudo existe por apenas um átimo...
bjos

Érica Martinez disse...

existirmos, a que será que se destina?

Substrato do Pó do Nada disse...

Nossa existência é duvidosa, a razão dela mais ainda. Parece-me que a arte da vida consiste em preenchê-la com razão, ou razões, que nossa imaginação cria e insiste em manter presente(s). Além disso, a mente, suporte de nossa imaginação, adota valores que cultivamos ao longo de nossa incipiente existência; mas esses valores, ao meu ver, não são absolutos e nem existiriam por si próprios. Gravitamos sobre o nada. Arrisco a dizer que está quase justificado assistir ao BBB...

Substrato do Pó do Nada disse...

Nossa existência é duvidosa, a razão dela mais ainda. Parece-me que a arte da vida consiste em preenchê-la com razão, ou razões, que nossa imaginação cria e insiste em manter presente(s). Além disso, a mente, suporte de nossa imaginação, adota valores que cultivamos ao longo de nossa incipiente existência; mas esses valores, ao meu ver, não são absolutos e nem existiriam por si próprios. Gravitamos ao redor do nada. Arrisco a dizer que está quase justificado assistir ao BBB...