Páginas

domingo, janeiro 30, 2011

"Di boa" (o Nirvana)

What is life about ?
Algumas frases soam melhor em outra lingua.  Essa é uma delas.  Na verdade, não estou muito certo de que a construção é essa mesma (a Anne que me corrija, caso leia).
O pessoal da Videolar (legendadora) provavelmente traduziria para algo como "qual o sentido da vida".
Mas o original em inglês soa menos filosôfico, mais pragmático. Leva-nos a pensar no cotidiano, nos pequenos atos, na atitude geral diante da vida.
Pessoalmente, vejo a vida como algo potencialmente simples, apesar de toda sua complexidade.
Busco, fundamentalmente, o que chamo de paz de espírito.  Uma expressão  tão boa como qualquer outra para dizer que, quando me perguntarem como estou, eu quero poder responder "tô di boa".
Estar "di boa" significa estar relaxado, satisfeito, desapegado.  Aquela sensação que a gente tem depois de uma refeição gostosa mas leve, ou depois de fazer amor com sua mulher ou marido.  Não estou falando de feijoada e sexo selvagem, que também são bons mas não servem como exemplo, no presente caso.
Na prática, me sinto assim quando as coisas vão bem no trabalho (fiz a minha parte e tudo deu certo), as pessoas que amo estão bem e eu estou fazendo alguma coisa gostosa.
Um pouco egoísta, é claro, já que sempre teremos gente sofrendo no mundo, com enchentes, guerras, doenças e outras mazelas e, obviamente, poderia estar fazendo alguma coisa para ajudar ao invés de ficar sentado no sofá tomanto um sorvete com bolo de chocolate ou fazendo cafuné na namorada.
Mas eu realmente acredito que fazer desse mundo um lugar melhor para se viver é uma tarefa que deve respeitar uma hierarquia de ações e, no que me concerne, o bem estar do planeta deve começar comigo. Preciso estar bem para poder ajudar minha familia, meus amigos, minha cidade, meu país e o planeta, quase sempre nessa ordem.
Da mesma forma, tenho a impressão de que a maioria das pessoas que atrapalham minha vida em algum momento não estão "di boa".
O vizinho chato, o político corrupto, o policial que abusa da autoridade, o ladrão no semáforo, o chefe desagradável, o padre pedófilo, os missionários em cruzadas (religiosos fanáticos e, mais recentemente, os eco-afins, que se acham donos da única verdade), os ricos metidos a besta, os pobres que se fazem de vítima, e todos aqueles que não se conformam que eu seja como sou ou que acham que eu devo alguma coisa (direito deles) e que exigem que eu faça algo diferente do que quero (coisa aborrecida), enfim, um bando de gente por aí me parece insatisfeita e infeliz e, por isso mesmo, não é capaz de aceitar que alguém (no caso, eu) esteja "di boa".
Eu entendo.  E sempre que possível, procuro alertar para o fato de que dirigir sua energia para ficar "di boa" seria uma solução melhor do que perturbar a minha paz de espírito.  Surpreendentemente, algumas vezes funciona (poucas, tenho que confessar, mas é melhor do que nada).
Mas esse estado quase nirvânico não é alcançado sem trabalho ou por acaso.
É um objetivo digno de se tentar alcançar e exige consistência e paciência.
Vale a pena se essa for sua resposta para a pergunta do início da postagem.

10 comentários:

Solange disse...

ficar "di boa" é fácil... tenho "trabalhado" nisso (risos), mas permanecer nesse estado, viver "di boa", ainda parece "Nirvânico" demais para mim...

dia desses chego lá !!!!
estou praticando... !!!!


adorei a "sabedoria" Flavio... meu domingo vai ser melhor depois das suas palavras... vou ficar "di boa na lagoa"...

beijo grande

Anne M. Moor disse...

Flávio

"What is life about?" Ou então tira a interrogação no teu texto :-)

"Estar di boa" é uma escolha e, como dizes, something to work on through life. Serão sempre as coisas aparentemente simples que nos deixarão "di boa". Adorei este teu texto di boa. :-)

Beijão e continua di boa tá?

Anne

e daí? disse...

ficar di boa é tudo q se quer, pena q incomode taaaanto os outros ne não??
To aprendendo a ignorar o patrulhamento... Otimo findi, bj

Jorge Lemos disse...

Príncipe

To na busca. O duro é que no caminho inteiro me perguntei: "qual o verdadeiro sentido da vida?
As respostas me são dadas diariamente, incluindo seu belo texto".
Falo pela idade que me assegura:
"onde ficou a vida que a gente perdeu vivendo?" (Elliot).

Mas tudo se soma, como diz a sempre a Anne. Só amanhã compreenderemos melhor!

Di boa

Lemos

CARLA STOPA disse...

Oi Flávio...Ando "De boa" ultimamente...Brincando de esconde-esconde com minha borboleta transparente...Grande beijo.

Denise disse...

tô di boa

Sempre figo,sou feliz,mesmo que nem sempre esteja.

presentemente estou como sou.
di boa (rs)

carinho

Denise disse...

ah
Continue "di boa",é bom saber-te assim
beijo

A. Marcos disse...

Flávio,

Já te ocorreu que para certas pessoas estar "di boa" é estar perturbando a vida de outras?

Tem gente que só está em paz quando sabe que tirou a paz alheia.

Algo de submissão e poder.

Sentimental ♥ disse...

é difícil ficar 'di boa' depois de uma feijoada... rs

toda boa ação deve começar no próprio umbigo né?

Flavio Ferrari disse...

tks Anne ... corrigido