Páginas

segunda-feira, janeiro 24, 2011

Kotucoku e as certezas

No princípio era o verbo ....
O verbo (a palavra) é o princípio da dúvida.  A razão busca explicações para assegurar-se num ciclo sem fim, já que a única certeza é a de que não podemos saber ao certo.
A plenitude é o desapego das certezas.
Para isso serve a meditação ... desligar o verbo e alcançar, ainda que por um átimo, a plenitude de ser.
No começo, a sensação é fortuíta ... nos escapa ... dura pouco.  Mas fica impressa na memória integral (física, mental, espiritual).  Uma sensação que vicia por ser bela.  Quando nos deixa, resta a ausência de nós mesmos, diluídos no caos.  Um sentimento inexplicável de saudades.
É a volta da palavra, em busca das certezas, que não nos deixa escutar o universo dentro de nós.
Mas não se aflija ... ele seguirá lá, esperando outros silêncios, com a paciência de quem sabe que, um dia, o verbo não será mais soberano.
Esse é o final da nossa jornada e o início do ser total.

(Kotucoku)

12 comentários:

Joéliton dos Santos disse...

Olá... Passando pra desejar uma ótima semana. E dar os parabéns pelo Blog. Muito bom!

Um grande abraço,

Joéliton Santos.

e daí? disse...

Agradecida pelas dicas! Meditar é ainda dificil pra mim, to aprendendo... bj

MAILSON FURTADO disse...

Belo post...

Belo blog...

Parabéns muito bom seu espaço, voltarei aqui mais vezes...

Convido vc a conhcer meu trabalho (poesia, música, teatro)

Ficaria feliz demais!

http://mailsonfurtado.com

Anne M. Moor disse...

A 'palavra' anda pululando em vários blogs amigos hoje! Palavras ao vento é uma sensação boa tbm.

beijos Flávio
Anne

Sentimental ♥ disse...

ando sem certeza de nada...

Nanda Assis disse...

nossaaaaaa, nem li. depois de ficar uns quinze minutos namorando essa foto a cara de marcelo dourado, meu muso sexual, eu nem dei conta de ler!!!

lindooooo.

bjosss...

A.Tapadinhas disse...

Ainda só li duas vezes...

Está mesmo em português?
:)

Abraço,
António

Franzé Oliveira disse...

Aproveite sua jornada aqui sem esperar o que vem depois. Sei que entende.

Um abraço

Batom e poesias disse...

Jay Guru Kotucoku

:D

bjcas
Rossana

Ti disse...

Um pensamento já não é mais o mesmo ao verbalizá-lo...

Hoje, verbalizamos muito e refletimos pouco....

Paulinha Costa disse...

Me perdi no verbo, na razão, deixei de meditar...
Ainda bem que sempre é tempo de buscar.
Obrigada pela lembrança desses momentos.
"A plenitude é o desapego das certezas."
Traduziu exatamente pelo que estou passando.
Thanks

Alberto Marques disse...

O verbo deve ser usado com inteligência, já que é de origem mental. Não há, e imagino que não devemos, como fugir dele encarnado. Já o silêncio é o caminho que nos conduz a origem, a reconciliação. Talvez, buscar a equalização desses seja o ideal.