Páginas

domingo, junho 21, 2009

Afinal, quem é que manda aqui ?

Queria casar pelado num campo de flores, mas com essa barriguinha não vai dar ...
A imagem do casamento "in natura" veio de uma frase que acabei de escutar, enquanto começava a escrever, no seriado Grey's Anatomy da Sony (uma série gostosa de assistir), secundado por um comercial de perfume estrelado pelo Banderas (que não tem problemas bálicos*).
E o tema da postagem foi inspirado por outra postagem do Rodrigo (Dysfemismo) que anda num salutar rompante escrivinhatório.
A questão é que decidir por sí é muito difícil.
A quantidade de gente dedicada a interferir voluntariamente em nossos processos de decisão é grande (Rodrigo menciona médicos e jornalistas na sua postagem).
E ainda fazemos o favor de interiorizar outros tantos, construindo um "tirano" interno que nos diz o que podemos e devemos, e o que não podemos nem devemos.
É mais fácil (e parece mais "certo") sucumbir às autoridades externas, principalmente quando introjetadas (quando as colocamos para dentro de nós).
Fazer o que é "certo" e não fazer o que é "errado" é uma forma mágica de obter o salvo conduto da "não responsabilidade". Confortável, durante boa parte das nossas vidas.
Mas pode acontecer de um dia a gente achar que viver de acordo com as regras dos outros não é suficiente.
Pior ... pode acontecer de um dia a gente se dar conta que não foi suficiente, e aí não vai dar para voltar atrás.
E não adianta acordar amanhã e decidir fazer tudo de "errado" que lhe vier à cabeça. Isso a psicologia chamaria de contra-controle. Dá na mesma.
Só tem uma solução para isso: introspecção homeopática (conversar um pouco com você mesmo (a) todos os dias).
E, se puder e quiser, um bom psicanalista pode ajudar quando a coisa "empaca".
Conhecer-se é o melhor investimento de tempo que podemos fazer.



(bálico: relativo à barriga, adjetivo que acabo de inventar por falta de vocabulário e preguiça de pesquisar)

39 comentários:

Ti disse...

Para mim, conhecer você é o segundo melhor investimento!!!

Beijos

Tempestade disse...

Só você pra me fazer rir a essa hora em que já estou desligando o pc e indo dormir.
Mas valeu a pena. rss...
Beijos Tempestuosos!

Anne M. Moor disse...

O meu tirano interno recebeu umas aulas nos últimos anos que o botou no seu devido lugar rsrsrsrsrsrs

Não sei bem quem decide hoje em dia o que é 'certo' e o que é 'errado', mas uma coisa boa da velhice é que, tirano ou não, o 'certo' é tudo aquilo que me dá prazer...

Beijos :-)

Érica Martinez disse...

Foi o argumento que usei com o meu outronônimo "Aiémuitocaro" quando decidi me enfiar na terapia... Tirando as botas que comprei, é o dinheiro mais bem gasto dos últimos tempos! rs...

Déia disse...

rsrs Adorei!
Como cada um deve saber o que quer..rs..eu prefiro um casamento com um pouco mais de roupa.. é muito gostoso ter o que tirar na lua de mel rs...
Adorei passar por aqui e pretendo voltar.

Agradeço sua passagem pelo depois do divã! bjs

Avassaladora disse...

Flávio, ler vc, com certeza já uma lúdica terapia matinal...

E bálico é um excelente adjetivo acabas de inventar...rsrs

"Fazer o que é "certo" e não fazer o que é "errado" é uma forma mágica de obter o salvo conduto da "não responsabilidade". Confortável, durante boa parte das nossas vidas."

Acho que muitos se perdem justamente aí.

Esse viver politicamente correto pode ser a morte em vida para muitos...
Faltar coragem para se rebelar contra essa falsa sensação de "segurança" é a maior derrota do ser homano...

Partando, case-se pelado no seu campos de flores...

E a "silhueta bálica" vai passar desapercebida em meio a tanto romantismo...

Vale a pena ser ousado...rs

E a Ti vai adorar, tenho certeza...rs


Beijos e linda semana para voce!


PS: Será que existe viagra para o cérebro...?

Aguardo resposta...rs

Batom e poesias disse...

Bálico é sinônimo de barriguístico (sem trema):
Propriedade dos seres humanos em acumular gordura na área em torno do umbigo.

Case pelado mesmo, mas espere o verão...

bjs
Rossana

Adriana disse...

conhecer a si mesmo é a maior sabedoria - ja diziam os antigos chineses.
Adorei a "introspecçao homeopática"- temos que praticar isso!

Mariana Moralles disse...

Casar pelado num campo de flores, foi ótimo! Rsss
Imagino o constrangimento dos convidados!

:)

Boa semana pra ti!

Beijão!

Suzana disse...

Concordo com a Anne, hoje vivemos com mais prazer !Pelados ou não!
Afinal a nudez é relativa aos bons costumes di lugar.
bjs

Simone Schuck disse...

Muito legal teu texto! O que mais precisamos para viver bem é conhecermo-nos mais e melhor. Falta muito dar-nos uma chance quando a gente só se "doa".

Adorei. Acho que estou precisando.
Beijos

Glaura disse...

Acho melhor bárrico (mescla barriga com barrica, o que acaba dando na mesma, às vezes)!
Eu também ando sem ânimo de fazer coisas pelada... Ando deprimida com a falta de coórum e com certeza afastaria o público!

e daí? disse...

"Conhecer-se é o melhor investimento de tempo que podemos fazer." introspecção homeopática + um bom terapeuta, sim essa formula faz todo o sentido nesse momento...é trabalhoso, por vezes, dolorido, mas não tem jeito, o caminho é esse mesmo...
Andréa

Solange Maia disse...

... risos ...

Era tudo tão perfeito, se tudo fosse só isso.

Beijo,

Solange

Flavio Ferrari disse...

Ti: que gracinha de namorada ...
Essa história de "segundo" você aprendeu comigo ... confessa.

Flavio Ferrari disse...

Letticia: era isso que eu imaginava que iria acontecer se decidisse casar pelado em um campo de flores ... os convidados iriam morrer de rir.

Flavio Ferrari disse...

Anne: dá para trocar velho por experiente ?

Flavio Ferrari disse...

Érica: botas são fundamentais para a consolidadação da personalidade no inverno ...

Flavio Ferrari disse...

Déia: tirar a roupa na lua de mel ... é a última romântica !!!!

Flavio Ferrari disse...

Alice: o problema não é o pelado e nem o campo de flores ...

Flavio Ferrari disse...

Rossana: só depois do aquecimento global ...

Flavio Ferrari disse...

Adriana: de vez em quando uma alopatia também ajuda...

Flavio Ferrari disse...

Mariana: posso pedir uma tanguinha de crochê emprestada para o Gabeira ... ele não está mais usando mesmo.

Flavio Ferrari disse...

Suzana: jaca-uga.

Flavio Ferrari disse...

Simone: sempre bem vinda.

Flavio Ferrari disse...

Glaura: barrica !!! Tem dó .. não estou tão mal assim.
O pessoal não anda dando no coórum ?

Flavio Ferrari disse...

Andréa (ah... você é a "e dai?") - o pior é que doi mesmo.

Flavio Ferrari disse...

Solange: pode não ser só isso, mas isso só já é bastante.

disse...

A galera assistindo o o começo do streap da pessoa bálica:
Tira! tira! tira.
A pessoa(ingenua...) tira,
e a galera:
POE, POoe, POOE..


ET: So porque essa do bálico eu ADOREI
beijjinho

Anne M. Moor disse...

Flávio, até dá, mas é tão bom ser 'velha' e ainda all there rsrsrsrsrsrs

FatiGra disse...

o quemais me chamou atencao foi o " queria casar..." coisa dificil de se ouvir hoje em dia! rsrsrsrs

Denise Fernandes disse...

Olá, Flavio, tudo bem?

Estou aprendendo com a meditação, que Introspecção não é afastar-se da realidade, mas sim mudar o estado de consciência diante das exigências externas. É dar um tempo para si, restaurar a comunicação consigo mesmo, tomar conta da mente.
Assim como a tartaruga retrai a cabeça e os membros para dentro do casco quando ameaçada, através da consciência podemos recolher os sentidos e reencontrar o equilíbrio entre o mundo exterior e interior.
Mas não é fácil...haja treino!
"OM SHANTI"

Saudades....Bjs

Flavio Ferrari disse...

Lúcia: mais uma para acabar com a minha moral .... eu devia ter usado um exemplo impessoal ...

Flavio Ferrari disse...

FatiGra: é o que eu sempre digo ... não acredite em tudo que lê ...

Flavio Ferrari disse...

Denise: que bom ter você de volta por aqui ... meditação é muito bacana ... mas não é nada fácil.

C. disse...

Eu tenho um guaximi interno que me serve sempre de psicólogo quando é preciso (o guaximi é piada interna -na minha cabeça- melhor não procurar entender).

Talvez minhas conversas com ele não sejam muito amistosas, mas é óbvio que quem manda sou eu e ouço-o se quiser. Começo relaxando e tentando pensar nos meus atos que pratiquei naquele e nos últimos dias. Ouvir-se a si mesmo e encarar seus conflitos internos é uma boa pedida. Coloco tudo pra fora, choro, rio, xingo, brigo e fico feliz comigo mesma.

Depois de expressar isso tudo fico mais aberta pras coisas ao meu redor e refletindo melhor. Eu gosto de fazer isso, ajuda muito. Mas eu não sou o melhor exemplo terapêutico e que sirva como exemplo. Nem quero ser.

Luna Sanchez disse...

O meu problema é conseguir não ouvir a voz da intuição, quando ela me fala o que eu não queria ouvir.

Às vezes, acho que se ela (a minha intuição) se materializasse, impediria com o próprio corpo que eu fizesse algumas besteiras.

Um beijo,

ℓυηα

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Adorei (também) a introspecção homeopática; no mais, sequer comento, pois, como sou psicóloga clínica, sempre dirão que estou puxando a brasa para meu salmão...
Mas meu salmão é bem bom, viu?...rsrsrsrsrs
BJS!
http://curiosaidentidade.blogspot.com/

Carla P.S. disse...

Sempre fui a favor do auto-conhecimento..! Melhor forma de conhecer alguém é saber sobre a própria personalidade... Melhor forma de nunca ser desmascarado é nunca ter máscaras..e outras coisas mais que eu acredito.