Páginas

sábado, março 12, 2011

Ano 1 - a polêmica do livre pensar

Outro dia tive uma pequena discussão no facebook com um cidadão que desconheço e a quem, agora, percebo que devo desculpas (vou ver se acho a postagem original por lá).
Tudo começou porque uma amiga comum fez um comentário no dia 01 de janeiro de 2011 desejando que a nova década fosse boa para todos.
Eu, com minhas típicas piadas sem graça, agradeci mas perguntei porque ela havia descartado o primeiro ano da década (2010).  Ela, serena e sábia, não polemizou.
Mas um amigo indignado condenou-me e elegantemente informou que a segunda década deste milênio começava, efetivamente, em 2011.
Ai começou uma longa troca de comentários argumentativos, onde ele reafirmava que era assim e eu contra-argumentava explicando porque não poderia ser assim.  Terminei perguntando se ele havia celebrado a entrada do novo milênio em 01 de janeiro de 2000 junto com todo mundo ou tinha deixado para comemorar sozinho em 01 de janeiro de 2001.
Meu argumento final foi matador .... mas o fato é que o rapaz, segundo a norma culta (termo que, creio, não se aplica aqui, mas vá lá que seja), tinha razão, embora eu não soubesse na ocasião.
Decidi pesquisar o assunto quando, na semana passada, minha namorada estava ajudando sua filha de 9 anos a estudar para uma prova de matemática, e um dos assuntos era, justamente, a contagem dos séculos (por conta dos algarismo romanos).  O livro didático informava que todo novo século (e, portanto, décadas e milênios), começam no ano 1, e não no ano "0", como me parecia óbvio.
Nunca fui bom aluno, no sentido clássico.  Faltava nas aulas e me recusava a decorar textos, datas ou mesmo fórmulas, que preferia deduzir.  Logo, devo ter faltado na aula em que ensinaram esse método pouco lógico de contagem do tempo a partir do 1.
Provavelmente, meu raciocínio de contagem de tempo se baseou no fato de que no meu ano 1 eu já tinha vivido um ano inteiro e que, portanto, o mesmo teria acontecido com Cristo, cujo nascimento é a referência para a contagem do nosso calendário atual.  Assim sendo, Cristo comemoraria sua primeira década no dia 01 de janeiro do ano 10, quando começaria sua segunda década de vida, e não no dia 01 de janeiro do ano 11, quando completaria 11 anos.
Mas fuçando por aí descobri (em um artigo do Helio Schwartsman da Folha Online) que o problema começou com um tal de Dionysius, o monge encarregado pelo Papa João 1o. de criar o calendário cristão que usamos hoje, em meados do século VI.
O monge escolheu (erradamente, parece) uma data simbólica para o nascimento de Cristo: 25 de dezembro de 753 A.U.C. (ab urbe condita - a partir da fundação de Roma, que era como se contava o tempo naquela época, no mundo ocidental), e resolveu iniciar a contagem do tempo cristão a partir do dia primeiro de janeiro do ano seguinte (754), para simplificar as coisas.  
Até aí, nenhum problema maior no que se refere à presente discussão.
Entretanto, o criativo monge, decidiu denominar esse primeiro ano de Ano 1 AD (Ano Dommini) ou DC como chamamos por aqui, começando a contagem no 1, ignorando o conceito de ano "0".
Matematicamente, entre o ano 1 AC (antes do nascimento de Cristo) e o ano 1 DC (depois do nascimento de Cristo, deveriam transcorrer 2 anos, certo ?  Matematicamente, sim.  Mas não na contagem do monge, havendo ignorado o ano zero.
Por isso, o cidadão com o qual polemizei está correto ao afirmar que uma nova década, no nosso calendário cristão, começa no ano 1.
Também por isso, lamento informar a todos que comemoraram o início do novo milênio e do século XXI na virada de 31 de dezembro de 1999 para 01 de janeiro de 2000, seduzidos pela sequência de zeros (que sugerem que algo terminou e algo está para começar), que estavam um ano adiantados.
De certa forma, a população ocidental resolveu fazer um protesto massivo, inconsciente e pacífico contra a pataquada do monge, da forma mais expressiva possível, ignorando solenemente sua determinação de começar as contagens no ano 1.
E eu participei, confesso, por ignorância.
Mas, apesar de melhor informado agora, creio que continuarei começando a contar do zero.

3 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Acho que é a primeira vez que faço uma postagem decente sem nenhum comentário ...

Sentimental ♥ disse...

eu nunca tinha ido pela lógica, mas sempre achei q os começos de década eram no ano seguinte ao 0... acho q pq contava de 10 em 10 e sempre deu certo assim.

mas, vivendo e aprendendo com as polêmicas alheias.

bj

Felipe Sá disse...

a ignorância é passiva no intelecto..já dizia Bornheim