Páginas

domingo, março 27, 2011

Sobre o amor

Sempre que passeio pelos blogs e encontro os lamentos de minhas amigas blogueiras (os meninos raramente escrevem sobre seus sentimentos) sobre seus amores insatisfatórios, sou assaltado por uma certa angústia fraternal.
Sem ironias, o amor é lindo.  E nos completa de uma forma tão bela que dá, sempre, vontade de compartilhar, de esparramá-lo pelo mundo.
Talvez o que eu chame de amor não seja a mesma coisa que você chama de amor.
Para mim o amor é, essencialmente, um sentimento de felicidade plena motivado pela existência.
Embora tenhamos a impressão de que ele é dirigido a uma pessoa ou às maravilhas da Criação ele, de fato, não o é.  O aparente objeto do nosso amor é apenas o "gatilho" que dispara essa sensação.
O amor é um estado de espírito que nos ajuda a projetar um mundo melhor.
A princípio, o amor não depende do "outro".
Entretanto, embora existam vários caminhos para alcançar o estado de espírito amoroso (meditação, psicanálise, terapias corporais, etc.), o mais comum é vivenciarmos lampejos de amor a partir da relação com outras pessoas.
Por alguma razão misteriosa, algumas pessoas são capazes de nos transportar para esse estado de espírito com um olhar, um sorriso, um beijo, ou simplesmente por sua presença.  Essa é, possivelmente, a maneira mais fácil de experimentar o amor.  Não requer qualquer trabalho para desenvolvimento pessoal.  O amor apenas "acontece".
Por isso, quem nunca buscou despertar o amor por conta própria (a maioria de nós) e que, provavelmente, nem saiba que isso é possível, desenvolve uma terrível dependência do "outro", que lhe desperta o amor, para amar e ser feliz.
Ao invés de aproveitar essa oportunidade única, oferecida pelo outro, de conhecer o amor, e desenvolver-se a partir daí para conquistar sua "independência", nos tornamos adictos, possessivos, exigentes, temerosos de perder a pessoa que chamamos de "amada".
Esse novo estado de espírito é incompatível com o amor.  Daí, cada vez amamos menos na presença daquele pessoa e, quase sempre, a culpamos por isso.
Essa é a grande falácia que destroi os relacionamentos que chamamos de "amorosos": tornar o outro responsável pelo nosso estado de espírito, pelo nosso amor.
O amor, em sí, é simples.
Mas relacionamentos podem ser complicados, mesmo quando não depositamos equivocadamente essa responsabilidade sobre eles.
Você não precisa concordar comigo, mas se seus relacionamentos "amorosos" não tem dado certo, pode experimentar fazer diferente da próxima vez.
Quando voltar a encontrar uma dessas raras pessoas que despertam seu amor, faça um esforço para conter o impulso de posse.  Experimente o amor.  Deixe que ele se esparrame sobre todas as pessoas e coisas à sua volta, tirando o foco dessa pessoa especial que foi capaz de despertá-lo.  Perceba como, nesse estado, você pode amar tudo e todos.  Concentre-se no amor por si mesmo.  Veja a pessoa importante e especial que você é, dotada da capacidade de amar tão completamente.
Esse exercício vai te dar, com o tempo, a capacidade de despertar o amor, de encontrar esse estado de espírito sem depender de um outro.
Quando isso acontecer, você estará pronto para se relacionar com aquela pessoa especial, sem a necessidade de posse, sem o medo da perda, sem exigências maiores.
Acredite, vale o esforço !

20 comentários:

Carla P.S. disse...

Foi o texto que eu mais gostei, lido aqui.


:)

e daí? disse...

e, nem é preciso esforço pra acreditar...

Anne M. Moor disse...

Se vale! Parece tão fácil... Na realidade é uma escolha de maneira de ser e viver que as vezes leve anos e muita pancada. Mas que vale a pena, ah isso vale. Experimentem!

beijos
Anne

A. Marcos disse...

Lembrei de quando eu tinha 18 anos...

Luna Sanchez disse...

O amor pertence a e é responsabilidade de quem o sente. Se conseguirmos compartilhá-lo, melhor.

Sentimental ♥ disse...

ah, o amor...
as pessoas insistem em tratar como moeda de troca, fico boba com isso.
bjs

Haylla disse...

Olá,
Adorei a sua postagem.
O seu blog é um máximo!
Estou te seguindo'

Xeirinho#

www.lojazart.blogspot.com

Jaqueline Köhn disse...

Simples assim?

Ok, vamos tentanto...


Grande beijo!

disse...

Flavio:

Um post
*****
(cinco estrelas)

Abraços

Flavio Ferrari disse...

Carla: Tks ...

Flavio Ferrari disse...

Anne e Jaqueline: não é simples, mas é o que é ...

Flavio Ferrari disse...

Andrea: mas é preciso algum esforço para fazer

Flavio Ferrari disse...

Luna: meio estranha a construção, mas vindo de você, concordo.

Flavio Ferrari disse...

Juliana: fica não ...

Flavio Ferrari disse...

Haylla: bem vinda.

Flavio Ferrari disse...

Marcos: se já sabia disso aos 18 deve ser um homem feliz.

Sentimental ♥ disse...

é mais forte q eu... rs

Luna Sanchez disse...

Obrigada, foi uma ótima resposta!

Rs

Beijinho.

ponoloot disse...

Did you heard what Rob Matts said about that?

generic nolvadex

Unknown disse...

網頁設計 網路行銷 關鍵字廣告 關鍵字行銷 餐飲設備 製冰機 洗碗機 咖啡機 冷凍冷藏冰箱 蒸烤箱 關島婚禮 巴里島機票 彈簧床 床墊 獨立筒床墊 乳膠床墊 床墊工廠 產後護理之家 月子中心 坐月子中心 坐月子 月子餐 銀行貸款 信用貸款 個人信貸 房屋貸款 房屋轉增貸 房貸二胎 房屋二胎 銀行二胎 土地貸款 農地貸款 情趣用品 情趣用品 腳臭 長灘島 長灘島旅遊 ssd固態硬碟 外接式硬碟 記憶體 SD記憶卡 隨身碟 SD記憶卡 婚禮顧問 婚禮顧問 水晶 花蓮民宿 血糖機 血壓計 洗鼻器 熱敷墊 體脂計 化痰機 氧氣製造機 氣墊床 電動病床 ソリッドステートドライブ USB フラッシュドライブ SD シリーズ