Páginas

sexta-feira, março 02, 2007

Cantando a Loucura

Vou sonhar
E vou lutar
Pouco tempo tenho nesta vida

Eu vou cantar ...

O pó da prata está nos meus cabelos
E a alma segue intacta
E o corpo nu em pelo

Esperando cada novo escurecer...

O sal do mar corroe os meus joelhos
Mas não a minha vontade
Mas não o meu desejo

Renovado a cada amanhecer ...

E os que vão tentar me dobrar ...
Ah, não ... não vão desistir ...
E os que querem me ver sufocar ...
Oh, não,... não vão conseguir ...

Você pode ver no meu olhar
Que o que me afeta o corpo
Não pode me alcançar

Só me fere aquilo que eu amar ...

E o que me leva o amarfanhar do tempo
A vida ... o tempo ... a vida ... o tempo

Só me causa a dor de um pranto seco

E os que vão tentar me dobrar ...
Ah, não ... não vão desistir ...
E os que querem me ver sufocar ...
Oh, não,... não vão conseguir ...

Oh, não, eu não vou deixar...
E vocês vão estar comigo ... aqui

Não, não, não .. meus caros

Nesse mundo divertido
Com essa gente tão querida
Eu não sou louco ...

Tanta coisa para aprender
Tanto coisa para fazer
Eu não sou louco ... louco

Vou viver todos os dias
E se não houvesse mais um dia
Tudo bem ... tudo bem

Vou amar todos os dias
E se não houvesse mais um dia
Tudo bem ... tudo bem ...

E vocês vão estar comigo, aqui.

4 comentários:

Udi disse...

"...Sim, sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz..."

será que eu já havia lido algum poema seu?

Amanda Arthur disse...

Flávio em versão POP! Essa é nova... Gostei! Daria uma boa música.

Anne disse...

Flávio poeta?
"O sal do mar corroe os meus joelhos
Mas não a minha vontade
Mas não o meu desejo"
Jamais Flávio... vontade e desejo fazem parte do viver a pleno...

Flavio Ferrari disse...

Poemas não são exatamente o meu forte (e o que será que é ?).
Daria sim, uma boa música. Crazy, do Seal ... a letra foi inspirada pela música e montada mais ou menos em cima da métrica dela.