Páginas

quinta-feira, março 22, 2007

Na bagagem...

Estou na sala de espera do aeroporto, rumo ao Uruguai, onde farei mais uma palestra...
A mala, verde oliva com um candente cadeado amarelo aprovado pelo sistema de segurança dos EUA, abandonou-me a pouco, e seguiu triste e solitária na esteira. Com um pouco de sorte vou reencontrá-la em algumas horas (ou o que sobrar dela).
E eu, momentaneamente sem mala, dei-me conta da bagagem que levo comigo.
Levo 47 anos de vida intensa, boa parte dela muito feliz. E os momentos difíceis, que foram poucos mas marcaram muito, dividiram águas. Cresci muito com eles.
Levo a lembrança de amores vividos (poucos e bons) e sonhados como os da Anne (também poucos e bons).
Levo uma das poucas coisas seguras nessa vida, e talvez a que mais importe: ser filho e ser pai.
Levo a companhia de vocês, companheiros do Arguta, que cada vez mais preenchem meu dia e minha vida.
Levo a memória de momentos recentes, que por particularidades dessa fase de minha vida, nunca foram tão intensos, no prazer e na tristeza.
Levo comigo o amor, meu e de alguns poucos, que amam apesar dê (isso me ensinou o pai, não o avô).
Levo a esperança. A ansiedade. A curiosidade. A vontade de viver e ser feliz.
Levo tambéma preocupação com uma sobrinha querida que passa por maus momentos.
E levo um cartão de crédito, a coisa mais útil e menos importante de todas que carrego comigo na bagagem.

28 comentários:

udi disse...

Flavio,
diz uma coisa: quando é que você volta?! parece até que não vai voltar! quer dizer... prá mim é como se nem estivesse indo mas... que dá uma sensação de navio partindo em cais de porto, isso dá!
valeu pelo poema! boa viagem!

Anne M. Moor disse...

Tive a mesma sensação da Udi... What's up????????? Um que de profunda tristeza... Te contagiei???
A melhor ponte entre o desespero e a esperança é uma boa noite de sono... Aproveita Montevidéu...

Flavio Ferrari disse...

Emoções de um momento
Sensações de uma vida
Que trazem alento
A uma alma ferida

Não tenha sido o intento
Refletir tanta tristeza
Mas tempestades de vento
Também tem sua beleza

Ti disse...

Flávio,

"As nuvens se afastam com o tempo e o sol retorna com o vento"...

É por isso que "as tempestades de vento têm sua beleza"!!

Boa viagem e excelente retorno!!

Amanda Arthur disse...

Caro, Flávio,
Para mim, você carrega também muitos bons exemplos, um coração generoso, mas forte, um sorriso acolhedor e vários, vários "causos" interessantes ainda por contar.
Ao contrário da Udi e da Anne, te senti bem pertinho ao ler seu poema.
Beijo,
Amandita

Anne M. Moor disse...

'Tempestades de vento' vem e vão, mas o alento é que vão e brisas de sossego tomam seu lugar.
Life... Living...

Udi disse...

Flavio! Você está completamente poeeeetaaaaaaa!
Vivas aos bons ventos que dissiparam as nuvens que, antes, encobriam o poeta.
(eu, sendo filha de Iansã, nada tenho contra tempestades de vento)

* Ti, tem um recado prá você lá no Sarau Balzac, já viu?

Ti disse...

Udi,

O seu comentário ainda não foi liberado pela Amanda...

Será que pelo menos você adivinhou?

Beijos

doppiafila disse...

Oi Flavio, gostei do poema. O que è avida sem curiosidade? E - a da experiencia è a única bagagem que fica mais gostosa quanto mais pesada fica, nao é?? :-)
Um abraço grande, Doppiafila
PS: sorte no Uruguay, e um abraço na Susana!

Flavio Ferrari disse...

Caros,
Já estou aqui, entusiasmadíssimo com a apresentação que vou fazer.
Como dizia um amigo meu do tempo de colégio (codinome Feto): eu voltarei ....
E por falar em voltar, bem vindo Paolo. Você perdeu uma história fantástica, Pecado e Capital, escrita a muitas mãos e transcrita pelo Ernesto e por mim. Vale a pena dar uma lida (começando pelo Blog do Ernesto). Quem sabe não vira uma telenovela colombiana ...

ps - foi bom para você ? (a lua de mel, digo...)

Udi disse...

Ti, vou dizer aqui o que disse lá: juntei os pontinhos, interpretei o termo "cliente/fornecedora" e a menção à área de RH e cheguei a uma conclusão que minha discrição oriental não permitiu revelar (o fiz, por email, só à Amanda). E disse ainda que estava feliz por ter sido informada diretamente pela fonte pois não gosto de fofoca.
...e então?
Já a conclusão de que Ti Bell era nome de fada, isso foi mesmo pela minha "bruxisse".

Anne M. Moor disse...

Ai ai ai ai ai... esse enigma está cada vez mais complicado!!! Assim não vale!!!!

Ti disse...

Udi,

Tem bilhetinho para você lá...

Anne,

Uma bela distração na falta do inicio dos próximos 12 capítulos!!

Anne M. Moor disse...

Ti - hahahahaha... Só posso dizer que fico feliz que estás feliz...

Ernesto Dias Jr. disse...

Flavio:

Tá vendo o que é deixar o pessoal com nada pra ler? Já estão escrevendo novela de mistério...

Amanda Arthur disse...

Pessoalmente, gostei do mistério.
Vocês podem aproveitar a deixa para a próxima saga blogosférica.

Udi disse...

...e a gente consegue se divertir enquanto espera :)
E este espaço virou um quadro de recados:

Ti, já li e já respondi lá.

Ti disse...

Ernesto,

Viu só!! Também sabemos escrever a várias mãos...

Pode não ser tão refinado... Mas no mínimo é divertido!!

Ernesto Dias Jr. disse...

Bem, já que aqui é o quadro de recados agora, comunico ao distinto público que, por motivos absolutamente fora do meu controle não estarei postando até segunda feira.
Eu avisei: viagens, viagens...

Glaura disse...

Flá,
mais uns bons kilos na sua bagagem:
-toneladas de fraternidade
-fardos de afeto
-caixas de agradecimento
E, quando vc abrir tudo isso no quarto do seu hotel, que ele se transforme, como por um encanto saindo como raios dos pacotes, iluminado por cores brilhantes, alegres, quentes, mas com brisa fresca, odores leves, significativos e acolhedores, que tragam doces lembranças de um passado que é sempre presente...
Há mais de 30 anos, num momento difícil de nossa vida, você nos comprou sorvete de creme. Até hoje prescrevo sorvete para o corpo e para a alma...
Agora, de maneira diferente, você também tenta aliviar minhas dores, mesmo que o tempo não permita que me traga o sorvete.
Lembrei agora do dia que enquanto suturávamos o cotovelo do Gui no clube, o Claudio dava sorvete de creme na boca dele...
Espero que haja todo o tipo de sorvete aí no Uruguai(haverá dentro de você, com certeza)!
Tenho torcido para que a sobrinhona querida fique bem e lutado para que as pequenas não precisem passar pela mesma dor no futuro...
Um beijo, irmão querido!

Udi disse...

Glaura, um grande beijo prá você. ...e obrigada por compartilhar de seu sorvete de creme.

Anne M. Moor disse...

Glaura... Não te conheço... mas faço minhas as palavras da Udi... dores compartilhadas se tornam mais suportáveis... E tem sim sorvete de creme no Uruguai...

Lú disse...

Caramba,to no orkut?
Flavio:volta logo que tah fazendo falta.
Ernesto:Só uma postagenzinha vai...

Glaura disse...

Anne e Udi,
Obrigada pela companhia!
Alguém terá assistido Nunca te vi, sempre te amei, com Antony Hopkins e Emma Tompson?
Parece uma re-edição futurística esse blog do Flávio, não é?!

Flavio Ferrari disse...

Respeitável público ....
Um recorde de comentários inigualável ....
O autor, penhorado, agradece.
E aviso que não tem internet no quarto do hotel (estou deitado debaixo de uma escada roubando o sinal de uma operadora clandestina).
Mas tem sorvete. Não tomei de creme, preferi um incrível Naranja-frutilla, da Freddo, inexistente até o momento em nossa pátria.
Levaria outro para a Glaura, mas não permitem no avião...
Beijos e saudades de todos

Udi disse...

Glaura, amo você também!
Pode contar comigo.
beijo

Flavio, debaixo da escada?! o Ernesto diria que se vc. achou um bom esconderijo sob a escada, deveria estar fazendo outra coisa.

Anne M. Moor disse...

Flávio! Em que hotel botaram você!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Flavio Ferrari disse...

Anne: Hotel Barceló.
O slogam deve ser:
"Voltar para lá ? Aqui, ó !"

Udi: deveria, mas fiquei dodói ...